Frango vivo e abatido: evolução de preços no ano

Ainda que ambos permaneçam com preços inferiores aos do início do ano, pela segunda vez em 2017 o frango abatido registra evolução de preços inferior à do frango vivo. A primeira ocorreu por volta de 10 de janeiro. A atual vem desde a última segunda-feira.

A diferença, por ora, é pouco significativa. Pois enquanto a cotação atual do frango vivo se encontra a 91,53% do valor inicial do ano (ou seja: é 8,47% menor), a do abatido está em 90,23% (9,77% menor). Diferencial, portanto, de 1,29 ponto percentual na evolução relativa de preços.

Esse diferencial, no entanto, adquire outra característica quando a análise é voltada para o preço médio de um e outro produto. Porque esta semana tende a ser fechada com o menor diferencial de preços do ano – provavelmente, menos de 24% (diferença de preço do abatido em relação ao vivo).

Notar que o ano foi iniciado com um diferencial também baixo, pois nas duas primeiras semanas de 2017 o valor alcançado pelo frango abatido esteve apenas um quarto acima do registrado pelo frango vivo.

Porém, com as baixas mais incisivas do frango vivo, o diferencial foi aumentando – ainda que os preços da ave abatida também retrocedessem.

Para o frango abatido o melhor momento destas primeiras oito semanas de 2017 ocorreu entre 5 e 11 de fevereiro (6ª semana), ocasião em que o preço do produto ficou mais de um terço acima do preço do frango abatido.

Uma das justificativas para a baixa relação atual parece estar no ajustamento da oferta de aves vivas pelo mercado independente, o que propicia valorização do produto. Já o abatido segue enfrentando, além das condições típicas de todo final de mês, a queda de consumo também típica de todos os Carnavais e, principalmente, a retração de demanda do depauperado consumidor brasileiro.

https://www.cnabrasil.org.br/

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.