Embrapa promove encontro em Sinop

O principal evento de transferência de tecnologia promovido pela Embrapa em Mato Grosso, o 6º Dia de Campo sobre Sistemas Integrados de Produção Agropecuária, que este ano é realizado em parceria com Sistema Famato/Senar, acontece no dia 15 de abril na vitrine tecnológica da Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop (500 Km de Cuiabá). O evento tem como público pequenos, médios e grandes produtores rurais, agentes de assistência técnica e extensão rural, estudantes e profissionais ligados ao setor agropecuário.

Neste ano a programação contará com um circuito formado por quatro estações temáticas que abordarão o componente florestal da integração lavoura-pecuária-floresta, as novas opções de plantas forrageiras e seu manejo, o avanço na eficiência de pulverizações e o cultivo da bananeira. Uma novidade neste Dia de Campo será a disponibilização, após o circuito de campo, de estações satélites onde os participantes interessados poderão tirar suas dúvidas com pesquisadores e especialistas nos temas.

Durante o evento será apresentada a tecnologia de pulverização eletrostática, que tem maior qualidade de aplicação, economia de produto e melhor eficiência na operação. O bico pulverizador pneumático eletrostático será mostrado pelo idealizador do invento e pesquisador da Embrapa Meio Ambiente, Aldemar Chaim, em uma das quatro estações de campo. Segundo ele, este bico pode ser utilizado em pulverizadores eletrostáticos transportados por tratores, em equipamentos de pulverização tipo pistola e também em equipamentos estacionários utilizados em tratamentos zootécnicos.

No dia de campo, Chaim demonstrará o funcionamento de um kit eletrostático adaptado a um pulverizador costal. Neste tipo de pulverização, segundo ele, uma carga elétrica estática é induzida em cada gota emitida, o que faz com que ela seja atraída pela planta que possui carga neutra. Entretanto, nas tecnologias utilizadas até então, a eletrificação só era eficiente em gotas grandes, de 100 a 200 micrômetros. Sendo que a grande vantagem desta tecnologia é que ela gera uma carga elétrica muito alta em gotas pequenas, de 40 micrômetros.

Chaim explica que o jato de ar da pulverização somado a alta carga de energia das gotas faz com que elas atinjam a planta muito rapidamente, antes mesmo de serem volatilizadas. Além disso, o fato de todas as gotas estarem com cargas elétricas de mesmo sinal faz com que haja uma repulsão entre elas. Com isso é possível atingir as plantas de maneira mais uniforme, mesmo em regiões mais escondidas, aumentando a eficiência do controle de pragas e doenças na lavoura. Na prática, isso significa maior eficiência na pulverização, economia no uso de agrotóxicos e, consequentemente, maior eficiência no serviço de aplicação, já que a necessidade de reabastecimento do tanque é menor.

Além disso, ao reduzir a quantidade de defensivos utilizados, a tecnologia traz benefícios ao meio ambiente. De acordo com Aldemar Chaim, duas tecnologias eletrostáticas desenvolvidas pela Embrapa Meio Ambiente já foram licenciadas e estão no mercado. As inscrições antecipadas podem ser feitas no site www.embrapa.br/agrossilvipastoril e são gratuitas. Os participantes também poderão se inscrever no dia do evento.

Fonte: A Gazeta

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.