Café: Após abrir em baixa, Bolsa de Nova York opera com leve alta nesta tarde de 5ª feira

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) seguem em oscilação dos dois lados da tabela na sessão desta quinta-feira (9) e sem novidades fundamentais em uma sessão muito parecida com a dos últimos dias. Além disso, os operadores também seguem bastante atentos ao clima e câmbio. Os vencimentos mais próximos seguem acima do patamar de US$ 1,40 por libra-peso com leve alta nos principais vencimentos.

Por volta das 13h02 (horário de Brasília), o contrato março/17 anotava 140,05 cents/lb com 105 pontos de alta, o maio/17, referência de mercado, registrava 142,10 cents/lb com avanço de 35 pontos. Já o vencimento julho/17 estava cotado a 144,45 cents/lb com valorização de 40 pontos e o setembro/17, mais distante, também tinha valorização de 40 pontos, a 146,70 cents/lb. Na véspera, os vencimentos subiram cerca de 100 pontos.

Pela manhã, as cotações do arábica na ICE operaram no campo negativo ainda de olho no dólar que se aproxima de R$ 3,20 na venda. No entanto, o movimento corretivo presenciado na véspera, após os vencimentos mais próximos ficarem abaixo de US$ 1,40/lb, acabou prevalecendo e os preços voltaram a subir.

Por volta das 11h20, a moeda norte-americana subia 0,28%, cotado a R$ 3,180 na venda, de olho no mercado externo e ainda na expectativa do Fed (Federal Reserve), banco central dos Estados Unidos, anunciar a elevação dos juros no país. Na véspera, a divisa avançou 1,65%.

Nos últimos dias, o mercado do arábica tem basicamente oscilado tecnicamente e de olho no câmbio e clima no Brasil. “As cotações continuaram a orbitar os intervalos pré-definidos e, assim, não se viu grandes volatilidades”, disse ontem em seu boletim diário Dia a Dia no Campo o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

Com uma frente fria, áreas produtoras de café da Zona da Mata de Minas Gerais e Sul do Espírito Santo devem ter chuvas nos próximos dias. Esse seria um fator baixista para o mercado. Essas precipitações, no entanto, serão irregulares. Ainda assim, o MDA Information Systems disse à Reuters que “a seca ainda é uma preocupação generalizada em todo o cinturão do café”.

No Brasil, também por volta das 09h34,o tipo 6 duro era negociado a R$ 491,00 a saca de 60 kg em Poços de Caldas (MG) – estável, em Guaxupé (MG) os preços também seguiam estáveis a R$ 478,00 a saca e em Espírito Santo do Pinhal (SP) estava sendo cotado a R$ 500,00 a saca.

https://www.cnabrasil.org.br/

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.