Vendas no varejo já recuam quase 5% em março, mostra levantamento


Com avanço do coronavírus, hábito de consumo do brasileiro já mudou, segundo mapeamento da Cielo. Vendas em supermercados e drogarias crescem, enquanto setor de serviços registra perdas. Com o impacto do avanço do coronavírus na economia brasileira, as vendas do varejo já acumulam queda de 4,6% em março, segundo dados divulgado pela Cielo nesta quinta-feira (19).
Os números da empresa de meio de pagamentos foram mensurados pelo meio do Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). A análise leva em conta o desempenho do varejo até 18 de março em comparação com o mesmo período de dias de fevereiro.
O ICVA utiliza modelos matemáticos e estatísticos para calcular o desempenho do varejo e não leva em conta apenas a base de clientes da Cielo.
Comércio, consumo das famílias, varejo
Celso Tavares/G1
Uma recorte mais recente do varejo já mostra como o coronavírus tem alterado a rotina de consumo dos brasileiros. Entre domingo (15) e quarta (18) deste mês, as vendas de bens não duráveis, setor que que compreende supermercados e farmácia, cresceu 8,9% na comparação com o período de 16 a 19 de fevereiro.
Já o desempenho do setor de bens duráveis, que inclui vestuário e lojas de departamentos, recuou 6,2%, enquanto o setor de serviços registrou queda de 23,2% nas vendas.
O coronavírus vai trazer um impacto bastante severo para a economia global e brasileira. Nos últimos dias bancos e consultorias passaram a revisar a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) do país. Os economistas já avaliam que a atividade econômica deve recuar no primeiro semestre.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.