Vendas de imóveis novos em SP crescem 38% em agosto, aponta Secovi-SP

No acumulado no ano, foram vendidas 16.124 unidades na cidade de São Paulo, um aumento de 46% em comparação ao mesmo período de 2017, As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo em agosto registraram alta de 38,4%, na comparação com agosto do ano passado, segundo dados divulgados nesta terça-feira (16) pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP). No comparativo com julho, a alta foi de 67,4%.
O resultado de comercialização do mêsde agosto foi o segundo melhor do ano, com a venda de 2.581 unidades residenciais novas. No acumulado de janeiro a agosto, foram vendidas 16.124 unidades, o que representa um aumento de 46,7% ante o mesmo período do ano passado (10.991 unidades).
O crescimento das vendas em agosto foi puxado pela comercialização dos imóveis econômicos enquadrados no programa Minha Casa, Minha Vida, de 1 ou 2 dormitórios. Do total vendido nos oito meses deste ano, 39% foram de unidades econômicas (6.253 unidades).
“Este produto atende principalmente a demanda das famílias que buscam adquirir a primeira casa própria, e que se encaixam nos parâmetros do programa”, afirma Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.
Vendas de imóveis crescem no país
Lançamentos crescem 16% no acumulado no ano
De acordo com dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), a cidade de São Paulo registrou, em agosto, 1.410 unidades residenciais lançadas, resultado 46,4% inferior ao de julho (2.629 unidades) e 10,7% abaixo do mesmo mês de 2017 (1.579 unidades).
De janeiro a agosto, foram lançadas 12.107 unidades residenciais na capital paulista, alta de 16% ante o mesmo período do ano anterior (10.437 unidades). Os lançamentos do ano, porém, continuam inferiores às vendas.
“No médio e no longo prazo, as perspectivas são positivas. Até porque, os presidenciáveis reconhecem a importância da indústria imobiliária como forte indutor da economia e importante gerador de emprego e renda”, afirma o presidente da entidade, Flavio Amary.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.