Trabalho nas florestas de eucalipto não para em época de corte


Equipes atravessam a noite para dar conta da produção. Trabalho nas florestas de eucalipto não pára em época de corte
Reprodução/TV TEM
A floresta de eucalipto forma uma imensidão verde. São quase 300 hectares plantados em uma fazenda em Campina do Monte Alegre, no Sudoeste de São Paulo. A propriedade tem mais de 350 mil árvores, que ficam prontas para o corte quando completam 7 anos.
É nesse momento que os trabalhadores são escalados para a colheita. O serviço não acaba na hora que o Sol se põe. A produção de celulose não pode parar. À noite, a colheitadeira segue a indicação dos refletores. Em poucos minutos, a máquina corta, descasca e divide o tronco que depois será levado para as fábricas.
A produção costuma aumentar no período noturno. Thaís Maria Milani, gerente de operações florestais da maior empresa brasileira produtora de celulose de eucalipto, explica que o rendimento aumenta porque o número de paradas das máquinas diminui. As manutenções são concentradas durante o dia.
(Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 15/03/2020)
Trabalho nas florestas de eucalipto não pára em época de corte
Os trabalhadores fazem parte de um setor que responde por quase 1,5% do PIB, que é a soma de todas as riquezas do Brasil. A plantação nacional de eucalipto é de quase 6 milhões de hectares. Os dados do IBGE ainda apontam que 500 mil trabalhadores atuam diretamente na produção de celulose no país.
A colheita é apenas uma etapa dessa rica cadeia produtiva. A madeira cortada é empilhada para secar e ser recolhida. Seja de noite ou de dia, o trabalho só continua nas mesmas áreas ano após ano porque todo eucalipto é replantado, tudo com planejamento para que a atividade continue por muito tempo.
Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais
Confira as últimas notícias do Nosso Campo

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.