Taxa de desemprego na zona do euro se mantém em 7,4%; inflação desacelera

Eurostat estimou que os preços ao consumidor subiram 1,2% em fevereiro, na comparação com o ano anterior, contra alta de 1,4% em janeiro. Os preços ao consumidor na zona do euro aumentaram mais lentamente em fevereiro do que em janeiro, como esperado, mostraram nesta terça-feira dados da agência de estatísticas da União Europeia, uma vez que o surto de coronavírus no mundo pressionou os preços do petróleo.
A Eurostat estimou que os preços ao consumidor subiram 1,2% em fevereiro sobre o ano anterior, contra alta de 1,4% em janeiro, em linha com expectativa em pesquisa da Reuters.
A alta mais fraca deveu-se principalmente à queda de 0,3% nos preços de energia na base anual. Sem isso, e excluindo os voláteis preços dos alimentos não processados, a inflação acelerou a 1,4% de 1,3% em janeiro sobre o ano anterior.
Separadamente, a Eurostat disse que os preços nos portões das fábricas, que indicam tendências para os preços ao consumidor, subiram 0,4% em janeiro sobre o mês anterior e tiveram queda de 0,5% na base anual, como esperado por economistas consultados pela Reuters.
Desemprego se mantém em 7,4%
A Eurostat também disse que a taxa de desemprego foi de 7,4% em janeiro como esperado, mesma taxa de dezembro e ante 7,8% em janeiro de 2019 –taxa mais baixa desde maio de 2008.
Países mais ricos falam de pacote de estímulos promovidos pelos Bancos Centrais

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.