Setor de serviços fica estável em novembro, diz IBGE

Foi o segundo mês seguido de variação nula no volume de serviços prestados; dados de outubro foram revisados. O volume de serviços prestados no Brasil não teve variação em novembro, ficando em 0,0% na comparação com outubro, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Vendas do comércio sobem 2,9% em novembro
O IBGE revisou os dados do setor de serviços de outubro. Ao invés de uma alta de 0,1% divulgada anteriormente, o resultado real também foi de 0,0%. Assim, são dois meses seguidos de variação nula no volume de serviços prestados no Brasil.
Dos cinco serviços pesquisados, apenas o grupo “outros serviços” encerrou novembro com variação negativa frente a outubro (-0,2).
Veja o resultado de cada uma das atividades do setor:
Outros serviços: -0,2%
Serviços prestados às famílias: 0,4%
Serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC): 0,8%
Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio: 0,3%
Serviços profissionais, administrativos e complementares: 0,1%
“É uma particularidade, uma questão estatística, quando o índice geral fica próximo de zero nós observarmos um predomínio de taxas positivas analisando setorialmente”, aponta Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE.
Segundo o IBGE, o principal impacto veio dos “serviços de informação e comunicação”, que acumulam alta de 1,4% nos últimos 3 meses.
Com o resultado de novembro, o volume de serviços ficou 11,7% abaixo dos pontos mais altos da série histórica da pesquisa, alcançado nos meses de janeiro e novembro de 2014.
Fim do efeito ‘greve’
“Esse cenário de maior estabilidade vem sendo observado desde setembro, quando houve variação negativa de 0,3%. Estes três últimos resultados deram fim à grande volatilidade observada a partir da greve dos caminhoneiros”, destacou Lobo.
Segundo o pesquisador, o resultado de novembro ficou 0,2% acima do nível de abril, pré-greve dos caminhoneiros, e 0,3% abaixo de dezembro de 2017.
“Apesar de todas as oscilações que observamos de maio a agosto, o setor de serviços se encontra praticamente no mesmo patamar que em dezembro de 2017”, acrescentou.
Acumulado em 12 meses
Houve estabilidade também no acumulado nos últimos 12 meses, encerrando uma sequência de 41 meses de taxas negativas nesse indicador. A última vez que o acumulado em 12 meses do setor de serviços apresentou variação positiva foi em maio de 2015, quando registrou alta de 0,1%.
Já na comparação com novembro de 2017, o setor de serviços teve crescimento de 0,9% no mesmo mês de 2018.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.