Relógio do celular causa problemas nos aplicativos bancários e autenticadores?


Pacotão de segurança também responde dúvidas sobre celular roubado. Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.) vá até o fim da reportagem e utilize o espaço de comentários ou envie um e-mail para g1seguranca@globomail.com. A coluna responde perguntas deixadas por leitores no pacotão, às quintas-feiras.
Horário dos celulares impacta autenticadores e aplicativos bancários
O blog recebeu algumas dúvidas sobre a mudança no relógio dos celulares. O problema, conforme informaram leitores, também afeta aplicativos bancários e a agenda do telefone.
Essas consequências não são inesperadas. Aplicativos de autenticação (como os tokens em aplicativos bancários e o Google Autenticador) funcionam com base na hora universal (UTC). Esse horário desconta o fuso horário (o que inclui o horário de verão) e também acrescenta os chamados “segundos bissextos” ou “segundos adicionais”, que incrementam o relógio para sincronizar o horário na Terra ao tempo solar.
Hora errada em relógio mundial permanece mesmo após ajuste do horário de celular por erro em banco de dados que determina horário de verão. Sintoma é comum em celulares com TZ desatualizada
Reprodução
Se se você usa um “horário manual” (e não automático) no celular, seu aparelho tende a desviar do horário sincronizado universal, que também fará com que ele perca a sincronia dos aplicativos. Da mesma forma, se o fuso horário não estiver correto, o conta para descontar o fuso horário e obter o UTC não vai retornar o resultado correto e os aplicativos vão gerar uma senha fora de sincronia.
Por esse motivo, recomenda-se manter a hora automática configurada no aparelho, apesar dos problemas recentes. Você só deve configurar o fuso horário manualmente caso o problema persista em seu telefone após ele ser reiniciado. O fuso de Brasília é GMT-3 ou UTC-3 e, no horário de verão, GMT-2/UTC-2.
Se o problema ainda persistir após essa configuração, o problema pode estar na forma que o aplicativo do banco calcula o fuso horário (ele pode não estar usando o fuso horário configurado, mas sim o fuso horário da tabela interna do celular). Entre em contato com o banco para solicitar suporte. No caso de uso do Google Autenticador para códigos do Google, Facebook e outros serviços, há uma opção para sincronizar o relógio do aplicativo no próprio app.
No caso de agendas, certifique-se de que todas as configurações de fuso horário estão corretas, tanto no serviço de agenda (como Outlook ou Google Agenda) como no telefone. Porém, certas horas ainda podem aparecer incorretamente caso o telefone tenha uma tabela TZ (banco de dados de fuso horário) desatualizada.
Para saber se a TZ do seu telefone está atualizada é bastante simples. Abra o aplicativo “Relógio” (Alarmes) e configure um “Relógio mundial” no Brasil. O telefone usa a TZ para calcular a hora no relógio mundial. Portanto, se a hora já estiver adiantada no Brasil, a TZ está desatualizada. Instale todas as atualizações fornecidas pelo fabricante; caso isso não corria o problema, entre em contato e solicite ao fabricante a atualização do “tzdata”.
Celular roubado
Meu celular foi furtado. Tem como eu colocar um código PIN nele através do Gmail? – Rachell Mello
Você pode, Rachell, só não é pelo Gmail.
Se o seu celular era Android, você deve fazer isso por meio do “Encontre meu dispositivo” do Google. Se o seu celular era um iPhone, a opção faz parte das ferramentas de “modo perdido”.
‘Encontre meu dispositivo’ do Google permite bloquear o telefone, fazer o aparelho emitir um som – para você encontrá-lo caso tenha perdido – ou apagar todos os dados do sistema
Reprodução
Você pode bloquear o telefone, colocar uma mensagem na tela (o que é útil se o celular tiver sido perdido em vez de roubado) e até enviar um comando para apagar todos os dados presentes no dispositivo para impossibilitar que outras pessoas tenham acesso às suas informações.
Infelizmente, esses comandos exigem acesso à internet. Portanto, talvez esta resposta não possa te ajudar mais. Afinal, se você deixou o celular sem senha de bloqueio, os criminosos com certeza realizaram uma restauração de fábrica imediatamente após pegar o seu celular. Dessa forma, você perde a possibilidade de comandar o seu dispositivo remotamente.
É por isso motivo que é imprescindível manter uma senha de bloqueio configurada sempre.
O pacotão da coluna Segurança Digital vai ficando por aqui. Não se esqueça de deixar sua dúvida na área de comentários, logo abaixo, ou enviar um e-mail para g1seguranca@globomail.com. Você também pode seguir a coluna no Twitter em @g1seguranca. Até a próxima!
Selo Altieres Rohr
Ilustração: G1

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.