Produção industrial cai em 9 de 15 locais em março, diz IBGE

Maiores quedas foram registradas no Pará (11,3%) e Bahia (-10,1%). Produção nacional caiu 1,3% em março, pior resultado desde setembro. A produção da indústria caiu em 9 dos 15 locais pesquisados em março, na comparação com fevereiro, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada nesta quarta-feira (8).
No mesmo período, a produção industrial nacional caiu 1,3%, o pior resultado mensal desde setembro, conforme divulgou o IBGE na última sexta-feira (3).
As quedas mais intensas em março foram registradas nas indústrias do Pará (-11,3%) e na Bahia (-10,1%). Já a produção da indústria paulista recuou 1,3%, mesmo índice da média nacional. Na outra ponta, os estados do Espírito Santo (3,6%), Rio de Janeiro (2,9%) e Goiás (2,3%) tiveram as maiores altas.
No acumulado nos últimos 12 meses, 9 dos 15 locais pesquisados também acumulam queda, com Goiás (4,1%) e Espírito Santo (-2,3%) registrando os maiores recuos na produção.
“O resultado da indústria está sendo determinado pelo alto nível de desemprego e pelo ambiente político, que acarretam cautela na decisão de investimento por parte dos empresários e no consumo por parte das famílias”, disse o gerente da pesquisa, Bernardo Almeida.
Produção industrial brasileira cai 1,3% em março e chega a níveis de 2009
Veja os estados que tiveram queda na produção industrial em março:
Pará: -11,3%
Bahia: -10,1%
Região Nordeste: -7,5%
Mato Grosso: -6,6%
Pernambuco: -6,0%
Minas Gerais: -2,2%
Ceará: -1,7%
São Paulo: -1,3%
Amazonas: -0,5%
Veja os locais que tiveram alta na produção industrial em março:
Espírito Santo: 3,6%
Rio de Janeiro: 2,9%
Goiás: 2,3%
Paraná: 1,5%
Santa Catarina: 1,2%
Rio Grande do Sul: 1%
Queda na produção de SP e PA pressiona indústria em março
A queda da produção no Pará foi pressionada pelas atividades de mineração. Segundo o IBGE, a extração de minério de ferro representa cerca de 86% do total da indústria no Pará. “Por conta da alta concentração nessa atividade, o resultado no estado fica vulnerável a oscilações na produção”, disse Almeida.
Já em São Paulo, segundo o IBGE, a indústria de veículos automotores mostrou queda devido às chuvas de março que alagaram os pátios das empresas localizados na região do ABC paulista, atrapalhando a produção, e por conta da ocorrência de greves.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.