Preços do petróleo caem mais de 2% após pressão de Trump para que Opep não corte oferta


Barril de Brent é negociado abaixo de US$ 70 nesta terça e o petróleo dos Estados Unidos abaixo dos US$ 60. Petróleo
Reprodução
Os contratos futuros do petróleo recuavam mais de 2% nesta terça-feira (13), com o Brent abaixo de US$ 70 por barril e o petróleo dos Estados Unidos abaixo dos US$ 60, após o presidente dos EUA, Donald Trump, pressionar a Opep a não reduzir a oferta para sustentar o mercado.
O petróleo Brent recuava 1,63 dólar, ou 2,32%, a US$ 68,49 por barril, às 8h31 (horário de Brasília).
O petróleo dos Estados Unidos caía 1,49 dólar, ou 2,49%, a US$ 58,44 por barril.
Ambos os contratos de referência recuaram cerca de 20% desde máximas de 4 anos registradas no início de outubro.
Também pesou sobre os preços a cotação do dólar, que opera próximo de uma máxima de 16 meses, tornando o petróleo mais caro para os importadores que usam outras moedas.
“A alta produção nos EUA, juntamente com barris adicionais vindo da Arábia Saudita e Rússia, está começando a afetar os mercados do petróleo”, disseram analistas do Bank of America Merrill Lynch em nota a clientes, acrescentando: “os estoques de petróleo estão começando a aumentar mais uma vez”.
Trump deixou claro que quer que os preços do petróleo caiam.
“Esperamos que a Arábia Saudita e a Opep não cortem a produção de petróleo. Os preços do petróleo devem ser muito mais baixos com base na oferta!”, escreveu o presidente em um post no Twitter na segunda-feira.
A mensagem de Trump levou a uma forte queda nos preços na segunda-feira e as vendas generalizadas continuavam nesta terça-feira.
“Esse tuíte certamente não ajudou os preços”, disse o estrategista de commodities da ING, Warren Patterson.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.