Porto do Açu recebe turbina a gás para termelétrica que está em construção


Com previsão para iniciar a operação em janeiro de 2021, o projeto da UTE GNA I consiste em uma usina termelétrica a gás natural em São João da Barra (RJ). Segundo a GNA, a turbina a gás GT 13, fornecida pela Siemens, é a mais eficiente do gênero a chegar ao Brasil
Divulgação/GNA
O Terminal Multicargas do Porto do Açu, em São João da Barra, no Norte Fluminense, recebeu nesta semana a embarcação que trouxe a primeira turbina a gás da UTE GNA I, principal equipamento que irá compor a ilha de energia da termelétrica em construção no complexo pela Gás Natural Açu (GNA).
Segundo a GNA, a turbina a gás GT 13, fornecida pela Siemens, é a mais eficiente do gênero a chegar ao Brasil.
O equipamento pesa cerca de 291 toneladas, tem 11 metros de comprimento, 4,8 metros de altura e terá capacidade 1,3 GW da térmica (considerando três turbinas a gás).
Ainda de acordo com a empresa, a turbina embarcou no final de março, do Porto da Antuérpia, na Bélgica, diretamente para o Açu, inaugurando uma nova rota entre os dois países. Ao fim das obras civis, a turbina será acoplada à sua base. As demais turbinas estão previstas para chegar ao Porto do Açu nos próximos meses.
A GNA informou que, ao todo, a ilha de potência da UTE GNA I compreende três turbinas a gás SGT6-8000H, uma turbina a vapor, além de três geradores de recuperação de calor, e sistemas de instrumentação e controle, equipamentos com alto nível de eficiência que irão gerar uma potência de aproximadamente 1,3 GW.
Além da implantação, o contrato com a Siemens contempla a prestação de serviços de longo prazo para operação e manutenção da usina.
“A chegada da primeira turbina da UTE GNA I é mais um importante marco para o progresso de nosso projeto. O complexo termelétrico que a GNA constrói no Porto do Açu contribuirá para a diversificação da matriz energética do Brasil e para a segurança energética por meio do gás natural, uma fonte de energia confiável e acessível”, afirmou Bernardo Perseke, diretor-presidente da GNA.
Com previsão para iniciar a operação em janeiro de 2021, o projeto da UTE GNA I consiste em uma usina termelétrica a gás natural em ciclo combinado de 1,3 GW, um terminal de regaseificação de GNL, de 21 milhões de metros cúbicos/dia, uma linha de transmissão e uma subestação, que ligará a termelétrica ao Sistema Interligado Nacional (SIN).
Para viabilizar a implantação do projeto, a GNA celebrou contratos de financiamento com a International Finance Corporation (IFC), no valor de US$ 288 milhões, e outro, no valor de R$ 1,76 bilhão, obtido junto ao BNDES e KfW IPEX-Bank, responsável pelo financiamento de projetos internacionais e de exportação do KfW Group, em uma parceria inédita para as instituições.
Além da UTE GNA I, a companhia irá construir a UTE GNA II, com 1,7 GW de capacidade instalada. Juntas, as duas termelétricas somam 3 GW, suficiente para atender cerca de 14 milhões de residências
De acordo com a GNA, os empreendimentos empregam cerca de 2.500 pessoas, sendo 70% mão de obra de moradores de São João da Barra e Campos dos Goytacazes.
Veja outras notícias da região no G1 Norte Fluminense.
Segundo a GNA, o projeto compreende a implantação de duas térmicas movidas a gás natural no Açu
Leondenis Bensi/GNA

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.