Por paralisação no governo, Trump cancela viagem de delegação dos EUA ao Fórum Econômico Mundial


Presidente havia cancelado a própria viagem também por causa do ‘shutdown’, mesmo motivo que o levou a adiar viagem de líder da oposição. Logo do evento no local onde ocorre o Fórum, em foto de 2016
Reuters
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cancelou nesta quinta-feira (17) a viagem da comitiva que o representaria no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, marcado para a próxima semana.
Há uma semana, o próprio republicano desmarcou a presença no encontro – o cancelamento desta quinta-feira se estende a uma delegação que representaria o governo norte-americano. Na ocasião, ele culpou a oposição pelo imbróglio orçamentário que levou à paralisação do governo. Trump participou do evento em 2018.
O presidente dos EUA, Donald Trump, durante discurso no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, em 2018
Fabrice Coffrini/AFP
De acordo com comunicado da Casa Branca, Trump tomou a decisão de cancelar a viagem da comitiva também por causa da paralisação parcial do governo dos EUA, que dura quase um mês.
No lugar de Trump, os EUA enviariam o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e o secretário de Estado, Mike Pompeo, informou a agência Reuters.
Além de Trump, o Fórum Econômico Mundial não terá a presença do presidente da França, Emmanuel Macron, e da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, estará no evento.
Paralisação no governo
Ônibus da Força Aérea dos EUA que levaria comitiva da Câmara já estava a postos
Joshua Roberts/Reuters
O “shutdown”, como é conhecida a paralisação, também levou Trump a cancelar uma viagem prevista para hoje da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, a três países.
O cancelamento repercutiu na imprensa dos EUA como “represália” à decisão de Pelosi – adversária do republicano – de adiar o discurso do Estado da União que Trump faria no Congresso neste mês.
Pelosi e Trump estão em desacordo há mais de três semanas em razão da paralisação parcial do governo devido à falta de fundos, o que levou cerca de 800 mil funcionários federais a férias forçadas, ou trabalho sem remuneração, se as suas posições forem consideradas essenciais.
No centro do conflito fiscal entre o governo e a oposição está o muro que Trump quer construir na fronteira com o México, pelo qual exige mais de US$ 5 bilhões. Os democratas se opõem firmemente a esse projeto.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.