Percentual de famílias com dívidas chega a 66,6% e bate novo recorde, diz CNC

Fatia de famílias inadimplentes ficou estável em 25,3% em abril. Já percentual de famílias sem condições de pagar contas ou dívidas em atraso recuou para 9,9%. O percentual de famílias com dívidas no país subiu para 66,6% em abril, batendo novo recorde histórico, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (14) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).
Trata-se do maior percentual da série histórica do levantamento, iniciado em janeiro de 2010. O recorde anterior era o de mês de março, quando o percentual chegou a 66,2%.
Esta foi a primeira Peic realizada após o início da pandemia de coronavírus no Brasil. A coleta dos dados ocorreu entre 20 de março e 5 de abril.
O indicador considera dívidas os compromissos assumidos com cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro.
O levantamento mostra, entretanto, que a inadimplência se manteve estável em abril. O percentual de famílias com contas ou dívidas em atraso ficou em 25,3% em março – mesmo percentual registrado em março. Em comparação com igual período de 2019 (23,9%), contudo, houve crescimento.
Já o percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes apresentou queda em abril, no comparativo mensal, passando de 10,2% do total, em março de 2020, para 9,9% em abril. Entretanto, o indicador também avançou na comparação anual. Em abril do ano passado estava em 9,5%.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.