Odebrecht Engenharia muda a marca e adota a sigla OEC


Construtora abandona o vermelho e traz as cores verde, azul e cinza na nova identidade visual. Odebrecht Engenharia & Construção adota a marca OEC
Divulgação
O braço de engenharia e construção do grupo Odebrecht anunciou nesta quinta-feira (2) mudanças na marca da empresa. A partir de agora, a Odebrecht Engenharia & Construção adotará a sigla OEC e abandonará a cor vermelha.
A nova identidade visual da construtora traz as cores verde, azul e cinza e, segundo a companhia, será vista em todas as comunicações da empresa a partir deste mês.
A mudança faz parte da nova estratégia anunciada pelo grupo Odebrecht ainda no final de 2017. Em meio ao abalo provocado pela operação Lava Jato e após acordo de leniência firmado com as autoridades brasileiras, a companhia decidiu mudar suas marcas e retirar o nome “Odebrecht” das diversas unidades de negócio.
A Odebrecht Agroindustrial, braço sucroenergético do conglomerado, por exemplo, passou a se chamar Atvos. A Odebrecht Óleo e Gás agora se chama Ocyan. Já a Odebrecht Realizações Imobiliárias virou OR. A Braskem, controlada pela Odebrecht e Petrobras, também anunciou mudança no logotipo e na comunicação visual das unidades de negócio do grupo.
Na nova marca apresentada pela construtora, o novo nome OEC é seguido do descritivo “Odebrecht Engenharia e Construção”.
“A mudança reflete o que a empresa chama de Jornada da Transformação, com importantes avanços na sua governança, como a implementação de um novo sistema de conformidade, incorporação de conselheiros independentes, atualização e adoção de novas políticas e diretrizes, um processo de sucessão que promoveu uma nova geração de líderes, a assinatura de importantes acordos no Brasil e exterior e, por fim, o início de sua reestruturação financeira”, disse a empresa em comunicado.
A empresa afirma estar presente em 16 países, empregando mais de 20 mil trabalhadores de diferentes nacionalidades, em cerca de vinte obras para clientes públicos e privados.
Entre as obras em andamento e recém-conquistadas estão a do metrô do Panamá, modernização do porto de Miami, usina termelétrica de Punta Catalina, na República Dominicana, além da BR-316, no Pará, corredor BRT Transbrasil, no Rio de Janeiro, e canal do sertão, em Alagoas.
“Desde que assumiu o compromisso público de combater a corrupção, a empresa criou um novo sistema mais robusto, em linha com o de empresas de capital aberto. Já foram concluídos acordos com autoridades de oito países – Estados Unidos, Suíça, Brasil, República Dominicana, Panamá, Equador, Peru e Guatemala. Outros acordos são esperados e alguns já se encontram em estágio avançado de negociações”, acrescentou a empresa.
Hoje, os negócios da Odebrecht reúne as unidades: Odebrecht Engenharia e Construção, Odebrecht Defesa e Tecnologia, Odebrecht Óleo e Gás, Odebrecht Realizações Imobiliárias, Odebrecht TransPort, Odebrecht Latinvest, Odebrecht Agroindustrial, Braskem, Enseada Indústria Naval e Foz.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.