Número de inadimplentes cresce 4,2% em outubro e atinge 62,9 milhões

Brasileiros entre 30 e 40 anos lideram o universo de pessoas com contas em atraso. O número de brasileiros com nome sujo teve alta de 4,22% em outubro e acelerou na comparação com o mesmo mês do ano passado. É o que aponta o levantamento divulgado nesta terça-feira (13) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito.
De acordo com a pesquisa, estima-se que há no país 62,89 milhões de consumidores inadimplentes.
Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, a inadimplência continua elevada pois a recuperação econômica segue lenta e ainda não impactou de forma considerável o mercado de trabalho. “A retomada do ambiente econômico acontece de forma gradual e ainda demorará para termos um aumento expressivo do número de empregos e renda, fatores que impactam de forma positiva tanto no pagamento de pendências quanto na propensão ao consumo das famílias”, afrimou.
G1Podcast: Como sair da lista dos inadimplentes?
Dívidas bancárias foram as que mais cresceram
Segundo o levantamento, o maior avanço em outubro foi o das dívidas bancárias, que incluem cartão de crédito, cheque especial, empréstimos, financiamentos e seguros, cuja alta foi de 7,74%.
Também houve alta nas contas atrasadas com empresas do setor de comunicação, como telefonia, internet e TV por assinatura (7,56%). As despesas com contas de serviços básicos, como água e luz, apresentaram alta de 4,46% nos atrasos, enquanto as compras realizadas no carnê ou boleto no comércio cresceram 0,45% no período.
Inadimplência por faixa de idade
A pesquisa mostra que a maior parte dos inadimplentes está concentrada entre os brasileiros com idade de 30 a 39 anos: são 17,9 milhões de consumidores nessa situação, o que representa mais da metade (52%) dos brasileiros com essa idade.
Na sequência, estão os consumidores de 40 a 49 anos, que somam uma população de 14,2 milhões de inadimplentes e os compreendidos na faixa dos 50 a 64 anos, que formam 13,1 milhões de devedores.
As pessoas de 25 a 29 anos representam juntas um universo de 7,7 milhões de inadimplentes, ao passo que a população mais idosa, com idade entre 65 e 84 anos, somam 5,5 milhões de pessoas.
A população mais jovem, que vai de 18 aos 24 anos, formam um contingente de 4,3 milhões de negativados, o que representa 18% dos brasileiros nessa faixa.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.