Líbano decide dar calote em parcela de US$ 1,2 bilhão de sua dívida


Na segunda-feira, 9 de março, o Líbano deveria reembolsar US$ 1,2 bilhão em títulos do Tesouro, dos quais uma parte significativa está nas mãos dos bancos e do Banco Central. Imagem de reunião de dirigentes do Líbano onde foi decidido dar um calote na dívida, em 7 de março de 2020
Dalati Nohra/Divulgação/Via Reuters
O governo do Líbano votou de forma unânime para não pagar os vencimentos da dívida pública neste sábado (7), disse uma autoridade à agência Reuters.
Os principais líderes do país são contra o pagamento da dívida do país, disse, mais cedo, a presidência do país, que passa por uma crise financeira.
Em uma reunião com o primeiro-ministro, o presidente do Parlamento, o ministro de Finanças e o presidente do Banco Central, “decidiu-se por unanimidade apoiar o governo na gestão da dívida, mas não para um reembolso das dívidas que vencem”, afirma o comunicado da Presidência.
Na segunda-feira, 9 de março, o Líbano deveria reembolsar US$ 1,2 bilhão em títulos do Tesouro, dos quais uma parte significativa está nas mãos dos bancos e do Banco Central.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.