EUA podem adotar medidas de estímulo direcionadas em meio a coronavírus, diz assessor da Casa Branca


Congresso aprovou projeto de lei de US$ 8,3 bilhões destinado a esforços para aumentar a resposta ao surto. O governo Trump está considerando medidas para estimular a economia dos Estados Unidos em meio ao surto de coronavírus que provavelmente irá arrastar para baixo temporariamente alguns setores, disse o assessor econômico da Casa Branca Larry Kudlow nesta sexta-feira (6), acrescentando que antes são necessárias mais informações.
Larry Kudlow fala sobre o coronavírus na Casa Branca, em imagem de arquivo
Kevin Lamarque/Reuters
Kudlow, falando em uma entrevista à CNBC, disse que ainda era muito cedo para determinar a magnitude de qualquer desaceleração, mas que a economia geral do país permanecia fundamentalmente forte e que não estava caminhando para uma recessão.
As autoridades norte-americanas estão preocupadas com as pessoas que talvez precisem ficar em casa por causa do surto e perder salários, bem como com pequenas empresas e companhias aéreas, ele afirmou à Bloomberg News em uma entrevista separada.
Entenda os impactos do avanço do coronavírus na economia global e brasileira
“Estamos procurando medidas específicas que farão o melhor em um curto período de tempo”, disse Kudlow à Bloomberg News. “Puxar esse gatilho não levará muito tempo”, possivelmente por ordem executiva, acrescentou, dizendo que mais informações provavelmente virão na próxima semana.
Ele acrescentou que a Casa Branca também pode recorrer novamente ao Congresso, que nesta semana aprovou um projeto de lei de US$ 8,3 bilhões destinado a esforços para aumentar a resposta dos EUA ao surto, incluindo dinheiro para o desenvolvimento de medicamentos e vacinas, bem como para os esforços de saúde pública.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.