Economia argentina cai 3,5% no terceiro trimestre e entra em recessão


As quedas mais fortes foram do comércio, pesca e indústria manufatureira, enquanto a atividade de intermediação financeira cresceu. Mulher espera trem em estação de metrô em Buenos Aires, na Argentina
Marcos Brindicci/Reuters
A economia argentina teve uma queda de 3,5% na medição anual do terceiro trimestre de 2018 e entrou em recessão, ao somar dois trimestres seguidos no vermelho, informou nesta terça-feira (18) o Instituto de Estatísticas.
No acumulado do ano, o Produto Interno Bruto (PIB) registrou queda de 1,4% em relação ao período janeiro-setembro de 2017.
No segundo trimestre deste ano a contração havia sido de 4% em relação ao mesmo período de 2017.
Neste terceiro trimestre, as quedas mais fortes se deram no setor do comércio (-8,9%), a pesca (-7,3%) e a indústria manufatureira (-6,6%). O melhor desempenho foi o da atividade de intermediação financeira, que cresceu 5,1%.
Manifestantes protestam contra a alta da inflação na Argentina; governo pediu ajuda ao FMI
Eitan Abramovich/AFP
A Argentina entrou neste ano em uma crise econômica que levou o governo do presidente Mauricio Macri a pactuar um auxílio financeiro por US$ 56 bilhões com o Fundo Monetário Internacional (FMI).
Dólar disparando, juros altos, temores sobre inflação e acordo com FMI: entenda a crise na Argentina
Segundo as projeções do FMI, a economia argentina cairá 2,6% em 2018 e 1,6% em 2019.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.