Crise provocada pelo coronavírus deixa 2,2 mil aviões parados nos EUA

Governo norte-americano já ofereceu ajuda de US$ 25 bilhões para 10 empresas aéreas do país. Em todo o mundo, a estimativa é que o setor tenha uma perda de US$ 314 bilhões em receita neste ano. Setor aéreo estima perda de US$ 314 bilhões em 2020 em todo mundo
A crise econômica provocada pelo coronavírus tem transformado os aeroportos dos Estados Unidos em estacionamentos. Um levantamento mostrou que 2,2 mil aviões estavam parados no país até a semana passada. Em todo o mundo, a estimativa é que o setor tenha uma perda de US$ 314 bilhões em receita neste ano.
O governo dos EUA já ofereceu um socorro para as companhias aéreas. Prejudicadas pelas medidas de restrição de viagem para evitar a propagação do coronavírus, 10 empresas do setor devem receber US$ 25 bilhões. Segundo o presidente Donald Trump, a ajuda é destinada para custear a folha de pagamento.
Tráfego aéreo no Brasil e no mundo despenca com pandemia de Covid-19; veja o que mudou e perspectivas
Os recursos são parte do pacote de US$ 2 trilhões sancionado há quase três semanas por Trump. As maiores empresas vão receber entre US$ 4 bilhões e US$ 6 bilhões, em forma de subsídios e empréstimos a juros baixos com pagamento a longo prazo.
Em compensação, nenhuma empresa vai poder demitir funcionários nos próximos cinco meses, comprar as suas ações nem pagar dividendos para acionistas até setembro do ano que vem.
As companhias ajudadas ainda terão de limitar o pagamento para os executivos até o primeiro trimestre de 2022.
Initial plugin text

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.