Coronavírus: venda de flores cai 70% e produtores de Holambra têm prejuízo de R$ 50 milhões


Com o cancelamento de eventos, parte das flores que seriam usadas em decoração estão sendo jogadas no lixo. Venda de flores cai 70% e produtores de Holambra têm prejuízo de R$ 50 milhões
As medidas restritivas para conter o avanço do novo coronavírus provocou um forte impacto no mercado de flores. Em Holambra (SP), os produtores registraram queda de 70% nas vendas durante a última semana e estimam prejuízo de R$ 50 milhões.
Além disso, com o cancelamento de eventos, como festas e casamentos, flores de corte que seriam utilizadas em decoração estão sendo jogadas no lixo, e outra parte é reaproveitada como adubo.
“A situação é dramática. As vendas de flores e plantas ornamentais caíram 70% na semana passada nos supermercados e floriculturas de todo o país. Não vendemos mais do que 30% do faturamento previsto para a semana”, ressalta Kees Schoenmaker, presidente do Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor).
Flores que seriam usadas em eventos são descartadas em Holambra (SP)
Helen Sacconi
Estímulo
Para tentar amenizar o impacto, o Ibraflor e cooperativas de Holambra (SP) – Veiling e Cooperflora – pediram apoio da Associação Brasileira de Supermercadistas (Abras) para manter os espaços nos supermercados.
O grupo lançou ainda a campanha “O Poder das Flores e das Plantas – A Flor é o Alimento para a Alma”, com a ideia de estimular o consumo individual.
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.