Coronavírus: Equipe do PEGN conta a rotina de trabalhar em casa

Saiba como a equipe trabalhou nos últimos dias e confira dicas de uma especialista para potencializar o trabalho em casa. Coronavírus: Equipe do PEGN conta a rotina de trabalhar em casa
O Pequenas Empresas & Grandes Negócios deste domingo (5) está diferente. Nós, como a maioria das empresas brasileiras, estamos trabalhando em casa. Tivemos que fazer quarentena porque a repórter Paula Monteiro pegou o novo coronavírus. Por isso, toda a equipe precisou entrar em uma quarentena de 14 dias e a redação passou a trabalhar no formato home office.
“Pegar o novo coronavírus foi uma surpresa. Não faço parte do grupo de risco. Tenho 33 anos e pratico muito esporte. Foram 14 dias em casa sem contato com ninguém. Amigos e parentes me levaram comida até a porta do apartamento”, conta Paula.
Enquanto Paula se recuperava, a equipe do programa transferiu todo trabalho cada um para sua casa. Com ajuda da tecnologia, as reuniões da equipe do PEGN durante esse período de quarentena foram feitas por videoconferência. Existem vários serviços, alguns gratuitos. O escolhido foi uma plataforma fácil e intuitiva.
Uma recomendação que sempre passamos nas reportagens e constatamos na prática: trabalhar em casa exige foco. “O bom do home office é que a gente trabalha à vontade, mas o desafio é manter a concentração”, conta o repórter Marcelo Baccarini.
Durante a quarentena, a Paula fez um diário e anotou os sintomas para relatar para o pessoal da vigilância, que ligou todos dias para fazer o monitoramento à distância.
Passado o período de quarentena obrigatória para evitar o contágio, a equipe do PEGN voltou a trabalhar na redação, tomando as precauções recomendadas pelas autoridades. Mas os profissionais que usam transporte público continuam a trabalhar em casa. Os repórteres na rua mantém a distância dos entrevistados e os microfones são sempre higienizados.
Dicas para o trabalho remoto
Como uma empresa leva para casa toda gestão e operação de seu negócio? Como se preparar para essa mudança? A consultora Roberta Vasconcellos dá algumas dicas. Ela tem uma consultoria que dá suporte a empresas e autônomos trabalharem de forma remota. Com exceção de indústrias e alguns serviços, ela acredita que muitos negócios podem ser tocados de casa nesse período.
Dar estrutura para os colaboradores, como computador e telefone.
Criar um canal de comunicação entre todos e adotar ferramentas diferentes das já usadas para conversas pessoais.
Definir horário de trabalho e horário para videoconferência.
Verificar fuso horário quando a empresa tem clientes fora do Brasil.
Manter uma rotina.
Criar rituais como palestra e apoio psicológico.
Definir colaborador para dar suporte tecnológico.
Roberta tem uma plataforma que ajuda empresas a encontrarem coworkings adequados a cada tipo de negócio. É uma forma de quebrar o isolamento. Mas nesse momento, ela diz que dá pra fazer isso até estando em casa: “Tem que criar rituais na empresa para se aproximar das pessoas mesmo estando distanciadas. Se pudesse resumir trabalho remoto seria: confiança, comunicação com contexto e disciplina”.
CONSULTORA ROBERTA VASCONCELOS
ESPECIALISTA EM TRABALHO REMOTO BEER OR COFFEE
www.beerorcoffee.com

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.