Como uma VPN fornece acesso 'grátis' à rede celular?


Pacotão de segurança responde ainda dúvidas sobre acesso ao WhatsApp e conexão automática ao Wi-Fi. Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.) vá até o fim da reportagem e utilize o espaço de comentários ou envie um e-mail para g1seguranca@globomail.com. A coluna responde perguntas deixadas por leitores no pacotão, às quintas-feiras.
WhatsApp usa código que é autorizado no telefone. Somente um código é válido por vez para cada número com acesso ao WhatsApp.
Altieres Rohr/Especial para o G1
Teste de acesso ao WhatsApp
Entre os anos de 2015 e 2016, eu e um amigo fizemos um teste. Ele logou no telefone dele com o meu número do WhatsApp, forneci o código de ativação encaminhado por SMS para ver se era possível abrir em outro telefone. Na hora, o meu telefone foi desconectado. Pois bem, visto que era possível, fiz o caminho inverso colocando meu número no meu telefone novamente, colocando o código e retornando o WhatsApp vinculado ao meu número no meu telefone. Na hora, não fiquei reparando se o meu amigo foi desconectado e voltei a usar meu WhatsApp normalmente.
A pergunta é: ele pode continuar recebendo minhas mensagens no telefone dele? Eu sempre leio que o WhatsApp não funciona em dois aparelhos ao mesmo tempo e gostaria de tirar essa dúvida.
No momento em que eu logo no meu aparelho novamente, ele também é desconectado e não recebe as novas mensagens?
Isso acabou ficando na minha cabeça e queria tirar essa dúvida. — Dimas
Quando você autentica o WhatsApp em um celular, aquele celular usa um código único para ter acesso às suas mensagens. Você não pode ver esse código, mas ele existe, sendo uma espécie de senha. Quando você autentica o WhatsApp (com o mesmo número) em outro aparelho, o código anterior deixa de valer. Por isso, o outro aparelho será automaticamente desconectado — ele não consegue mais usar o código que ele possui para entrar na rede do WhatsApp.
É por isso que o WhatsApp funciona em apenas um aparelho. Quando você autenticou seu número de volta no seu celular, a outra pessoa será desconectada, porque o código anterior deixará de valer.
plicativos de VPN muitas vezes disfarçam um tipo de tráfego de rede como se fosse outro. SlowDNS promete disfarçar tráfego via protolo DNS.
Reprodução
Internet ‘grátis’ no celular com VPN
Tenho uma dúvida sobre um app de VPN para Android que se chama Slow DNS. Se vocês pesquisarem ele na internet, verão muitos vídeos explicando como configurar ele para dar internet grátis. Mas a minha dúvida é a seguinte: como ele consegue dar essa internet “grátis”? — Irineu
Alguns aplicativos de VPN (Virtual Private Network, ou Rede Virtual Privada) utilizam truques de tunelamento incomuns, ou seja, eles “disfarçam” um certo tipo de tráfego de rede como se fosse outro tipo de tráfego, criando um “túnel”.
Isso tem certos benefícios. Por exemplo, se uma rede bloqueia acessos a determinado site ou serviço, esse “disfarce” do tráfego de rede pode ajudar você a desviar do bloqueio — que é algo muito comum no marketing de alguns serviços de VPN, ainda que a legalidade disso seja questionável (em geral, provedores de serviços preferem adotar medidas técnicas do que buscar a Justiça para resolver esses casos).
A mesma situação pode ocorrer no caso de redes controladas, como 3G e 4G. É possível que a operadora não contabilize certos tipos de tráfego no seu plano de dados, muitas vezes por motivos técnicos. Quando você utiliza uma VPN com características que disfarçam seu tráfego como um desses tráfegos que a operadora não contabiliza, você pode acabar navegando sem que isso ocasione um desconto no seu plano de dados, porque a operadora a princípio não “enxerga” aquele tráfego como contabilizável.
Esse é exatamente o caso do SlowDNS, que promete disfarçar seu tráfego de rede como se fosse o Domain Name System (DNS). O DNS é o “102” da internet: ele consulta nomes (como g1.com.br) e retorna o número (endereço IP) associado. Não é pelo DNS que devem trafegar os demais dados da sua conexão (como o acesso aos sites).
Porém, os seus direitos como cliente são governados pela legislação e pelo seu contrato com a operadora, não por meros aspectos técnicos da prestação de serviço. Disfarçar seu tráfego de rede com o intuito de burlar o limite do seu pacote de dados pode ser uma prática indevida do ponto de vista do seu contrato, o que deixa você sujeito a multas, caso a operadora investigue o caso e possa provar que você agiu de má-fé, ou seja, com o intuito de burlar seu limite de dados contratado.
Conexão automática ao Wi-Fi
Observei hoje que meu smartphone Mi5s (sem chip) estava acessando uma rede Wi-Fi por mim desconhecida e não solicitada, com um nome longo com letras e números aleatórios, em vez de acessar a rede do meu apartamento que loga automaticamente quando chego em casa. Será um ataque ao meu celular? Como alguém pode fazer isso? Como posso evitar e investigar tal acesso?
P.S.: Meu outro celular, Redmi2 Pro (com chip) não mostrava essa rede! — Renato Bezerra
As opções disponíveis variam de aparelho para aparelho, mas muitos celulares trazem alguma função que automaticamente conecta em certas redes Wi-Fi, que habilita o Wi-Fi automaticamente (ou seja, você pode acabar conectado via Wi-Fi mesmo depois de desabilitá-lo) ou até que conecta automaticamente em redes Wi-Fi públicas (o Windows também tem esse recurso, que pode ser usado — ou talvez desativado — em notebooks).
Note ainda que, em alguns casos, essas conexões podem ser configuradas e iniciadas por aplicativos instalados no seu aparelho (a permissão se chama “conectar e desconectar Wi-Fi” na lista de permissões na Play Store).
Celulares e notebooks costumam se conectar automaticamente a redes conhecidas, mas o acesso também pode ocorrer quando solicitado por aplicativos ou até por recursos do sistema.
Reprodução
Sendo assim, verifique as configurações do seu telefone e certifique-se de que não há nenhuma dessas opções “inteligentes” ativadas, se você preza pelo controle sobre as conexões do seu celular.
Verifique também as redes salvas no aparelho. Quem sabe essa rede “estranha” apareça por lá.
De modo geral, ninguém precisa fazer nada de “estranho” para que seu celular acabe se conectando automaticamente a uma rede Wi-Fi. Portanto, não é em si motivo de preocupação. Mas vale checar as configurações do Wi-Fi e os aplicativos instalados para identificar um possível “culpado” pelo ocorrido.
O pacotão da coluna Segurança Digital vai ficando por aqui. Não se esqueça de deixar sua dúvida na área de comentários, logo abaixo, ou enviar um e-mail para g1seguranca@globomail.com. Você também pode seguir a coluna no Twitter em @g1seguranca. Até a próxima!
Selo Altieres Rohr
Ilustração: G1

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.