Colômbia tenta proibir Odebrecht de fechar contratos públicos por 20 anos


Segundo a Procuradoria colombiana, os subornos da empresa no país totalizaram cerca de US$ 30 milhões. O governo colombiano pediu ao órgão regulador das empresas no país que proíba a construtora brasileira Odebrecht de fechar contratos públicos por 20 anos, depois que a empresa reconheceu o pagamento de propinas.
A petição ao regulador foi feita na noite de segunda-feira (19) pela vice-presidente da Colômbia, Marta Lucia Ramirez, e Carlos Gomez, chefe da agência que supervisiona a defesa legal do Estado.
Fachada da sede da Odebrecht em SP
Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo
“Este é um dos piores ataques cometidos contra a moralidade do país, que causou sérios prejuízos nas finanças públicas e foi a fonte de sérios danos à ética pública”, disse a carta.
A Odebrecht não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.
A Odebrecht está no centro do maior escândalo da corrupção da América Latina e reconheceu em 2016 que subornou autoridades em uma dezena de países.
Segundo a Procuradoria-Geral da República, os subornos da Odebrecht na Colômbia totalizaram cerca de US$ 30 milhões. A Odebrecht admitiu ter pago os subornos.
Quatorze pessoas envolvidas no escândalo da corrupção foram presas na Colômbia, incluindo um ex-senador e ex-ministro dos Transportes.
A Odebrecht, em parceria com uma empresa local, foi responsável pela construção de um trecho de 528 quilômetros de uma rodovia para o litoral caribenho, um contrato de mais de US$ 1 bilhão.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.