BR não participará de concorrência por refinarias, diz presidente da Petrobras

Roberto Castello Branco afirmou ainda que a previsão para os próximos investimentos da companhia pode ser revista; ‘não queremos prometer e não entregar’, disse. O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse nesta quarta-feira (8) que a BR Distribuidora “não participará de nenhum processo de compra de refinarias”. A afirmação foi feita em coletiva de imprensa no Rio de Janeiro, um dia após a divulgação do balanço da estatal, que teve lucro de R$ 4 bilhões no primeiro trimestre.
Castello Branco reforçou que o plano de desinvestimentos da companhia segue com foco imediato na venda de refinarias. O presidente comentou ainda o interesse da empresa em vender 8 de suas 13 refinarias. “A Petrobras tem como objetivo vender 100% das refinarias listadas. Simples assim”, afirmou.
Sobre os investimentos da estatal, o presidente disse que há possibilidade de revisão do que foi proposto no plano da companhia, que previa US$ 16 bilhões em 2019. O valor, segundo ele, pode ter sido superestimado.
“Não queremos prometer e não entregar. A diretoria vai analisar e, se for preciso, corrigir”, disse Castello Branco.
Ele reforçou que nos três primeiros meses deste ano foram investidos pouco mais de US$ 2 bilhões. O valor representa uma queda de 24% na comparação com os três primeiros meses de 2018 (US$ 3,067 bilhões) e de 30% na comparação com o quatro trimestre do ano passado (US$ 3,324 bilhões).
Balanço trimestral
Os executivos da companhia comentaram o desempenho nos primeiros três meses do ano. Segundo relatório divulgado na terça-feira (7), a Petrobras teve lucro líquido de R$ 4,031 bilhões no período – uma queda de 42% na comparação com o mesmo período de 2018.
Durante a coletiva desta quarta, Castello Branco minimizou o recuo. “Lucro é apenas uma variável contábil”, afirmou. “As decisões de negócios não são tomadas com base em dados da contabilidade, mas com base em dados econômicos”, disse o presidente, reiterando que o maior interesse da companhia em um EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) positivo.
A nova diretora financeira e de relacionamento com investidores da Petrobras, Andreia Almeida, endossou a fala do presidente. “A gente acredita que foi um bom resultado para o trimestre”, disse. Ela enfatizou que a companhia “vem continuamente apresentando um fluxo de caixa positivo”.
Em relatório divulgado junto com o balanço na noite de terça, a Petrobras apontou que o desempenho financeiro neste primeiro trimestre foi impactado negativamente:
pela cotação internacional do preço do barril de petróleo, acarretando em menor preço de venda de gasolina e diesel;
pela perda de R$ 3 bilhões com o menor volume de venda de derivados no mercado interno diante da desaceleração da economia brasileira;
pela redução de R$ 1,2 bilhão na receita com exportações.
Avanço do pré-sal
O diretor de exploração e produção da Petrobras, Carlos Alberto de Oliveira, disse que até o final deste ano a produção em águas profundas deve corresponder a 60% de toda a produção da companhia.
Segundo ele, no primeiro trimestre deste ano a produção do pré-sal foi equivalente a 49% de toda a produção. No trimestre anterior, ela havia sido de 44%.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.