Bovespa opera em queda no primeiro pregão de maio


Ibovespa acumulou alta de 0,98% no mês de abril. Sede da B3, a bolsa brasileira, no Centro de São Paulo
Divulgação/B3
O principal indicador da bolsa paulista, a B3, opera em queda nesta quinta-feira (2), primeiro pregão do mês de maio, com o noticiário externo ditando um tom mais comedido nos negócios, enquanto as atenções internas seguem voltadas para a articulação política em torno da reforma da Previdência.
Às 11h15, o Ibovespa recuava 0,58%, a 95.798 pontos. Veja mais cotações.
Entre as principais quedas, Vale recuava acima de 2% e Petrobras tinha queda de mais de 1%.
A Bolsa encerrou abril com alta de 0,98% no mês. No ano, a valorização acumulada é de 9,6%.
No panorama doméstico, participantes do mercado seguem monitorando avanços na tramitação da reforma da Previdência, atualmente na comissão especial da Câmara dos Deputados. Na terça-feira, o presidente da comissão, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), afirmou que ainda acertará um cronograma com partidos, mas que tem como base um horizonte de votação em junho no colegiado.
“Olhando no curto prazo, entendemos que os mercados domésticos devem continuar em compasso de espera e exibindo maior volatilidade por conta de preocupações com o andamento da agenda de reformas na economia”, destacou a corretora Socopa, que mantém projeção de que o Ibovespa alcance 110 mil pontos até o final do ano.
No exterior, o Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA) manteve, como era esperado, a taxa de juros no nível atual, mas surpreendeu investidores que trabalhavam com a possibilidade de um corte de juros ainda neste ano ao deixar claro que não há outra ação prevista que não a pausa já adotada.
Nova carteira Ibovespa
A B3 confirmou nesta quinta a entrada da Azul e do IRB Brasil na carteira do Índice Bovespa que vai vigorar de 6 de maio a 30 de agosto. Ao todo serão 66 ativos de 63 empresas.
Os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do Ibovespa serão: Itauunibanco PN (9,999%), Vale ON (9,882%), Bradesco PN (8,636%), Petrobras PN (7,359%) e PETROBRAS ON (5,085%).
Para efeitos de comparação, os ativos que apresentaram o maior peso na composição da carteira anterior do índice válida de 07 de janeiro de 2019 a 03 de maio de 2019 foram: Itauunibanco PN (10,801%), Vale ON (10,774%), Bradesco PN (8,570%), Petrobras PN (7,208%) e Petrobras ON (5,015%).
A B3 divulga regularmente três prévias das novas composições dos índices: a 1ª prévia, no primeiro pregão do último mês de vigência da carteira em vigor; a 2ª prévia, no pregão seguinte ao dia 15 do último mês de vigência da carteira em vigor e a 3ª prévia, no penúltimo pregão de vigência da carteira em vigor.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.