Bolsas da Europa operam em queda com impacto de coronavírus nas empresas

Índice pan-europeu STOXX 600 perdia 1,98%, depois de subir quase 8% desde 6 de abril. As ações europeias caíam nesta quarta-feira (15) após cinco dias de alta, à medida que a primeira leva de relatórios de resultados corporativos realçava os danos causados ​​pela pandemia de coronavírus, enquanto o setor de energia afundava devido a preocupações com a queda na demanda por petróleo.
As quedas da Total SA, Royal Dutch Shell e BP levavam o índice europeu de energia para o seu nível mais baixo este mês, conforme previsões pessimistas de pior crise econômica desde a Grande Depressão atingem os preços do petróleo.
Às 8h04 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 caía 1,88%, a 1.285 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdia 1,98%, a 327 pontos, depois de aumentar quase 8% desde 6 de abril com os primeiros sinais de que a crise da saúde estava diminuindo e com a esperança de que as medidas de bloqueio em breve fossem rapidamente suspensas.
O índice de referência se recuperou cerca de 22% desde que atingiu uma mínima de oito anos em março, mas ainda está 24% abaixo do seu recorde, e analistas alertaram que um aumento nos casos de coronavírus poderia desencadear outra liquidação.
Veja as cotações das principais bolsas nesta manhã:
Em LONDRES, o índice Financial Times recuava 2,37%, a 5.654 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX caía 2,16%, a 10.465 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 perdia 2,01%, a 4.433 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha desvalorização de 2,50%, a 17.119 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava baixa de 2,76%, a 6.912 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizava-se 1,41%, a 4.171 pontos.
Com coronavírus, economia deve ter pior desempenho desde a Grande Depressão, diz FMI

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.