BC britânico mantém aumento de juros em pausa e eleva previsão de crescimento


Banco Central da Inglaterra elevou a previsão de crescimento da quinta maior economia do mundo para 1,5%, ante alta de 1,2% prevista em fevereiro. Manifestante protesta contra o Brexit em frente ao Parlamento britânico em Londres
Gonzalo Fuentes/Reuters
O banco central britânico elevou suas previsões de crescimento nesta quinta-feira (2), mas alertou que o Brexit continua a prejudicar as perspectivas para a política monetária e disse que há poucos riscos de baixa imediatos em esperar por uma visão mais clara à frente.
As autoridades votaram unanimemente para manter os juros em 0,75%, como o esperado pelo mercado, mas manteve sua visão de que uma política monetária mais apertada será necessária no futuro.
O Banco da Inglaterra elevou a previsão de crescimento da quinta maior economia do mundo para 1,5%, acima da mínima de uma década de 1,2% prevista em fevereiro, refletindo uma melhora nas perspectivas globais e não muito distante da taxa de crescimento de 2018.
“A trajetória do crescimento do PIB parece ser ligeiramente mais forte do que o previsto anteriormente, mas marginalmente abaixo do potencial”, disse o banco central.
Durante o primeiro trimestre, a economia provavelmente cresceu 0,5% com as empresas acumulando estoques antes do Brexit, afirmou a autoridade monetária – um ritmo mais rápido do que o crescimento de 0,2% previsto em fevereiro. No entanto, o banco central espera que o crescimento desacelere para 0,2% no trimestre atual.
A saída do Reino Unido da União Europeia, que tinha data limite até 29 de março, foi adiada no mês passado até 31 de outubro, a menos que o Parlamento aprove um acordo mais cedo.
Isso elimina o risco de um Brexit sem acordo, que assombrou o Banco da Inglaterra na última reunião em março, mas prolonga um período de incerteza econômica.
O banco central disse que isso torna alguns dados econômicos, como pesquisas de negócios, mais difíceis de interpretar do que o normal.
“De maneira mais geral, permaneceram sinais mistos de indicadores de inflação interna e o custo de esperar por informações adicionais foi relativamente baixo”, disse o Banco da Inglaterra, acrescentando que continua supondo que o Brexit terá um fim favorável.
As previsões atualizadas mostram que o banco central espera que a inflação – atualmente de 1,9% – ultrapasse sua meta de 2% em dois a três anos, uma margem semelhante à prevista em fevereiro.
As projeções se baseiam na precificação do mercado financeiro que supõe que a taxas de juros do banco central não chegará a 1% até o final de 2021 – cerca de 15 pontos base a menos em termos de aperto do que o precificado antes da reunião do banco em fevereiro.

https://g1.globo.com/economia

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.