Anac e ANP investigam suspeita de adulteração de gasolina de aviação

Combustível adulterado pode ter causado danos e corrosões em tanques de combustível.Atualmente, cerca de 12 mil aviões usam esse combustível para voos de táxi-aéreo, particulares ou de instrução. Anac investiga suspeita de adulteração de gasolina de aviação
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a Agência Nacional de Petróleo (ANP) investigam a suspeita de adulteração de gasolina de aviação distribuída no Brasil. O combustível pode ter causado danos e corrosões em tanques de combustível e em peças de pequenas aeronaves, além de vazamentos.
Atualmente, cerca de 12 mil aviões usam esse combustível para voos de táxi-aéreo, particulares ou de instrução. Por causa do combustível adulterado, muitos pilotos estão se negando a levantar voo.
“Muitas aeronaves não estão apresentando esse problema. Não significa que elas estejam imunes a esse problema”, afirmou o presidente da Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves, Humberto Branco. “O que nós estamos orientando é que existe um indício grave de um problema. Se de, de fato, ele existir, pode afetar a segurança de voo.”
Os relatos sobre o possível combustível adulterado foram feitos no início desta semana por pilotos de diversos estados, como Rio Grande do Sul, São Paulo e Goiás.
A ANP e a Anac não fizeram uma interdição do combustível. Mas a ANP fez coletas para a análise para a coleta laboratorial. As causas da suposta adulteração, a origem da gasolina e qual substância pode ter contaminado ainda não foram identificadas.
Em nota conjunta, a Anac e a ANP informaram que criaram um grupo de trabalho nesta sexta-feira (10) para apurar as denuncias sobre a qualidade da gasolina de aviação utilizada no Brasil.
A nota diz que ainda que, desde quinta-feira (9), equipes de fiscalização da ANP estão verificando a qualidade do combustível verificado nos aeroportos. A Anac também emitiu um boletim aos operadores de aeronaves recomendando que, caso exista histórico ou evidência de contaminação, eles devem buscar uma oficina de manutenção credenciada para um avaliação.
A Petrobras informou que os produtos comercializados pela companhia atendem plenamente aos requisitos de qualidade exigidos pela ANP. A estatal também se prontificou a colaborar e contribuir nas investigações. A empresa ainda afirmou que não é a única companhia importadora de combustível, mas que planeja a produção local da gasolina para aviões em outubro deste ano.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.