Aérea alemã Lufthansa vai cortar 20% de postos executivos


Empresa afirmou que tem 22 mil funcionários em tempo integral que não são mais necessários e que vai tentar evitar demissões forçadas. O grupo aéreo alemão Lufthansa vai reduzir em 20% os postos executivos e cortar 1.000 cargos administrativos em um plano de reestruturação anunciado nesta terça-feira (7).
Balcões da companhia aérea alemã Lufthansa vazios são vistos no aeroporto de Frankfurt, no oeste da Alemanha
Daniel Roland / AFP
O Lufthansa Group, que emprega 138 mil pessoas, afirmou que vai reduzir pela metade o investimento em novas aeronaves, embora tenha acrescentado que isso significa que poderá ainda elevar sua frota em até 80 aeronaves até 2023.
A empresa afirmou que tem 22 mil funcionários em tempo integral que não são mais necessários e que vai tentar evitar demissões forçadas.
A Lufthansa afirmou que está tentando acordos com sindicatos de trabalhadores sobre as demissões, mas que apenas teve sucesso até agora com representantes de comissários na Alemanha.
Ajuda bilionária
Em maio, a Alemanha aprovou uma ajuda de 9 bilhões de euros (US$ 9,8 bilhões) para a aérea em acordo que dá ao governo alemão poder de veto no caso de uma oferta de aquisição hostil da companhia aérea.
O maior resgate corporativo alemão desde o começo da crise do coronavírus permitirá que o governo tenha uma participação de 20%, que pode subir a 25% mais uma ação no caso de uma tentativa de aquisição, conforme Berlim busca proteger milhares de empregos.
Ano de 2020 será o pior da história das companhias aéreas, diz associação

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.