Tendas, aluguel de vagas em hotel, distribuição de cobertores… veja as estratégias para apoiar pessoas em situação de rua


Chegada de uma onda de frio extremo derrubou as temperaturas em algumas regiões do Brasil. Morador de rua se protege do frio Centro da cidade de São Paulo
Rogério Galasse/Estadão Conteúdo
Com a chegada de uma onda de frio extremo nesta semana em algumas regiões do Brasil, governos locais e entidades da sociedade civil têm se organizado para apoiar pessoas em situação de rua — que ficam ainda mais vulneráveis nesse contexto. Entre as medidas adotadas, estão a instalação de tendas, a distribuição de cobertores e o aluguel de vagas em hotéis.
A previsão da meteorologia é que a massa de ar frio polar que atingiu o país nesta quarta (28) irá baixar as temperaturas no Sul, Sudeste, Centro-Oeste e até mesmo na região Norte do país. Na serra gaúcha, a sensação térmica poderá chegar a -25°C.
Confira abaixo as ações previstas em alguns estados:
São Paulo
Homem em situação de rua revira lixo na Av. Paulista, em São Paulo.
ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Em São Paulo, há a possibilidade de geada até mesmo na Região Metropolitana da capital paulista. As ações da Prefeitura de São Paulo incluem a montagem de cinco tendas em pontos estratégicos para a distribuição de sopa, cobertores, agasalhos e kits de higiene em diferentes regiões da cidade.
Saiba onde e como doar roupas de frio e cobertores em São Paulo
A Pastoral do Povo de Rua, localizada na Luz, Centro de São Paulo, também anunciou que vai abrir as portas de igrejas da cidade para acolher quem não tem casa devido à aproximação de uma onda de frio extremo para a capital.
Prefeituras no interior do estado também ampliaram atendimento a moradores em situação de rua durante frente fria
Reprodução/EPTV
No interior do estado, as Prefeituras de Barretos (SP), Ribeirão Preto (SP) e Sertãozinho (SP) definiram ações especiais para auxiliar a população em situação.
As ações nas duas cidades consistem em ampliar a capacidade de acolhimento nos abrigos municipais.
No litoral paulista, as cidades da Baixada Santista também intensificaram medidas para acolher moradores em situação de rua nesta semana.
Rio Grande do Sul
População em situação de rua passou a noite no ginásio, onde recebeu alimentação, kits de higiene e teste para Covid
Cesar Lopes/PMPA
No Rio Grande do Sul, que registrou temperaturas negativas na madrugada, a Prefeitura de Porto Alegre abriu o ginásio do Gigantinho para abrigar nesta semana a população em situação de rua. Na noite de terça-feira (27), o local, que fica ao lado do Estádio Beira-Rio e também pertence ao Sport Club Internacional, recebeu 102 pessoas.
Agasalhos arrecadados na campanha Poa que Doa foram distribuídos aos presentes. As coletas acontecem em vários pontos da cidade (a lista pode ser conferida no site) e também podem ser levados até o Gigantinho. Os animais de estimação dos acolhidos também podem passar a noite no local.
Rio de Janeiro
Campanha arrecada agasalhos e cobertores para doar para população em situação de rua em Petrópolis, no RJ
Divulgação/Prefeitura de Petrópolis
Na cidade do Rio de Janeiro, os termômetros podem chegar a menos de 10ºC nos próximos dias, o que aumenta a importância das campanhas de doação de agasalho para ajudar quem mais precisa.
Confira onde doar agasalhos e cobertores na cidade do Rio
Na Região Serrana do Rio, o município de Petrópolis montou pontos de coletas de doações de agasalhos e cobertores e ampliou o número de abrigos provisórios para as pessoas.
Veja onde fazer doações de agasalhos na cidade de Petrópolis
Abrigo de Volta Redonda
Divulgação/Prefeitura de Volta Redonda
As cidades do Sul e Costa Verde do Rio também se mobilizaram para oferecer abrigo a moradores em situação de rua durante a frente fria. Abrigos e arrecadação de agasalhos e cobertores estão entre as medidas adotadas pelas prefeituras.
Saiba onde ficam os pontos de arrecadação nas cidades do Sul e Costa Verde
Minas Gerais
Sem-teto escolhem roupas na Serraria Souza Pinto, em Belo Horizonte
Reprodução/TV Globo
Em Minas Gerais, Belo Horizonte não tem espaço nos abrigos para toda a população em situação de rua, estimada em nove mil pessoas. A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informou que não há previsão de ações emergenciais por causa da queda da temperatura prevista para esta semana. Mas disse que vêm intensificando medidas durante o inverno.
Saiba onde doar agasalhos em Belo Horizonte
Ainda segundo a PBH, as abordagens sociais aumentaram, o serviço foi ampliado também para os finais de semana e feriados, mais de 700 cobertores foram distribuídos, há monitoramento da temperatura junto à Defesa Civil, distribuição de agasalhos, além da distribuição de refeições adequadas ao inverno.
Abrigo para pessoas em situação de rua em Uberlândia
Danilo Henriques – Secretaria de Governo e Comunicação / PMU
No Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, a queda na temperatura pode provocar até geada em alguns pontos.
Em Uberlândia, a prefeitura reforçou a ronda social, junto a essa população e aumentou o número de vagas nos abrigos da cidade. Há também iniciativas de grupos solidários, que arrecadam roupas e alimentos para pessoas em situações de vulnerabilidade, entre elas, aquelas que não tem um teto para se abrigar. Veja aqui como ajudar.

Deixe um comentário

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.