Sudeste da Austrália é atingido por tempestades de poeira; veja VÍDEO


Massas de poeira gigantes foram vistas em várias partes do estado de Nova Gales do Sul. Em Canberra, uma tempestade trouxe granizo do tamanho de bolas de golfe. Nuvem gigante de poeira é vista em Nyngan, Nova Gales do Sul, Austrália
Na foto, tirada no dia 17 de janeiro, uma menina corre em direção a uma tempestade de poeira em Mullengudgery, estado de Nova Gales do Sul, no sudeste australiano.
Handout / Courtesy of Marcia Macmillan / AFP
Nuvens gigantes de poeira e massas de granizo do tamanho de bolas de golfe foram vistas entre domingo (19) e esta segunda-feira (20) em Sydney e Canberra, no sudeste da Austrália.
Não foi a primeira aparição das nuvens de poeira, que surgiram nos últimos dias em vários locais do estado de Nova Gales do Sul, onde fica Sydney. Vídeos postados na internet mostram as nuvens de terra avançando sobre ruas, casas e carros das cidades.
Nuvem de poeira avança sobre uma rua em Dubbo, na Nova Gales do Sul, a 400km de Sydney, no domingo (19).
Ian Harris/AP
Moradores das cidades de Dubbo e Parkes descreveram o céu ficando laranja à medida que a tempestade se aproximava, e publicaram vídeos mostrando o céu completamente preto apenas alguns minutos depois, quando a tempestade desceu sobre as cidades, informou a rede de televisão americana CNN.
As tempestades de poeira provavelmente foram provocadas por ventos fortes na área – rajadas de vento de até 107km/h em Dubbo e 95km/h em Parkes, de acordo com o Departamento de Meteorologia da Austrália. O estado sofre com uma seca há vários anos, o que significa que a terra está seca e o solo, solto – facilitando a poeira de ser levantada.
Estado de Nova Gales do Sul e do Território da Capital Australiana foram atingidos por tempestades de granizo e poeira
G1
A chuva amenizou a situação na noite de domingo (19), lavando a poeira em Dubbo e Parkes. A chuva também foi um alívio para os bombeiros de Nova Gales do Sul, que estão combatendo os piores incêndios que o país já viu em décadas.
Na sexta-feira (17), a chuva havia caído, em 24 horas, na maioria dos focos de incêndio do estado, disse o Corpo de Bombeiros Rural.
A foto, tirada no dia 17 de janeiro, mostra uma tempestade de poeira em Mullengudgery, no estado de Nova Gales do Sul.
Handout / Courtesy of Marcia Macmillan / AFP
Mas as chuvas não foram suficientes para apagar as chamas e provavelmente não serão suficientes para acabar com a seca, segundo apuração da rede de televisão americana CNN.
A tempestade de poeira de domingo (19) foi a segunda no centro de Nova Gales do Sul em uma semana; outra tempestade gigante atingiu a cidade de Forbes, ao sul de Dubbo, na última quinta (16), informou o Nine News.
Nuvem de poeira avança sobre uma rua em Dubbo, na Nova Gales do Sul, a 400km de Sydney.
Ian Harris/AP
Tempestade de granizo
Já capital do país, Canberra, no Território da Capital Australiana, foi atingida por uma tempestade de granizo nesta segunda (20). Alguns pedaços tinham o tamanho de bolas de golfe, segundo a CNN.
O granizo parou após cerca de 15 minutos, mas as pedras, com cerca de 5 cm de largura, foram suficientes para quebrar janelas e ferir dezenas de pássaros, disse Tom Swann, pesquisador do Instituto Australiano de Canberra. Ele encontrou uma cacatua machucada e a levou ao veterinário. Havia um “fluxo constante de pássaros feridos entrando [no consultório]”, relatou à CNN.
Tempestade de granizo em Canberra, Austrália, nesta segunda-feira (20).
Tom Swann/The Australia Institute via AP
A tempestade de granizo segue para o leste, em direção às cidades costeiras de Sydney, Wollongong e Newcastle, de acordo com o Departamento de Meteorologia. A agência alertou que as cidades podiam ter “ventos prejudiciais (possivelmente destrutivos), grandes pedras de granizo (possivelmente gigantes) e fortes chuvas”.
Bola de granizo foi vista próximo ao prédio do Parlamento australiano em Canberra nesta segunda-feira (20).
Handout / Courtesy of Don Arthur / AFP
Há oito dias, o céu de Canberra também já havia ficado coberto de fumaça vinda dos incêndios que atingem o país.
Fumaça cobre o céu de Canberra no dia 12 de janeiro.
Tracey Nearmy/AP
Os incêndios florestais e as tempestades de poeira foram exacerbados pelo calor e pela seca extrema – que, segundo especialistas, são sintomas da crise climática da Austrália.
A vegetação da Austrália está secando desde janeiro de 2017 – a pior seca já registrada. O estado de Nova Gales do Sul recebeu menos de 25 mm de chuva por ano nos últimos três anos, o que nunca aconteceu antes.
Imagens mostram inundações em Gold Coast, na Austrália, após chuvas fortes atingirem o leste do país, enquanto outras regiões seguem sendo atingidas por incêndios florestais
Australian Broadcasting Corporation, Channel 7, Channel 9 via AP
A seca piorou os fenômenos naturais, como a tempestade de poeira de domingo – e também devastou os meios de subsistência das pessoas: criadores de gado e ovelhas viram suas terras rachadas e ressecadas nos últimos anos, e muitos estão lutando para manter seus animais vivos.
Milhares de pessoas já foram às ruas no país para cobrar medidas mais duras para lidar com o problema.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.