Ricardo Salles vira réu por mandar tirar busto de Lamarca de parque no interior de SP


Busto ficava em um parque em Cajati e, durante visita como secretário de Meio Ambiente, em 2017, Salles ordenou que escultura fosse removida do pedestal. MP denunciou o ministro por crime contra o patrimônio e juíza aceitou a denúncia na última segunda-feira (2). O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, durante audiência pública na Comissão de Agricultura na Câmara dos Deputados
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
A juíza da 1º Vara Criminal de Jacupiranga (SP) aceitou a denúncia do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, virou réu da ação penal por crime contra o ordenamento urbano e patrimônio cultural após ordenar que o busto de Carlos Lamarca, que ficava em um parque estadual de Cajati, no interior paulista, fosse retirado de seu pedestal.
O busto de Carlos Lamarca, ex-guerrilheiro e um dos líderes da resistência à ditadura militar (1964-1985), ficava no Núcleo Capelinha do Parque Estadual do Rio Turvo – PERT. De acordo com o MP, em visita como secretário de Meio Ambiente do Estado, em agosto de 2017, Salles ordenou que os agentes públicos presentes na ocasião removessem o busto de seu pedestal e, também, de painéis educativos contendo fotografias e informações acerca da passagem de Carlos Lamarca pelo Vale do Ribeira, instalados no centro de exposição temático do Núcleo Capelinha .
De acordo com o documento, o busto foi retirado pela Prefeitura de Cajati (SP). Para o trabalho, foi preciso usar uma britadeira e a peça foi deteriorada. Após a remoção, ele foi levado até a sede do Comando de Policiamento Ambiental, em São Paulo, onde ficou guardado.
O MP afirma que Salles não tinha autoridade para mandar remover o busto e os painés, uma vez que a instalação havia sido decidida e autorizada pelos gestores do local e, ainda, com a remoção, o ministro causou dano ao patrimônio público pois, na época, a instalação do busto e painéis custou R$ 614 mil.
Se condenado, o ministro do Meio Ambiente deverá pagar R$ 64 mil de indenização pelo episódio e pode pegar seis emses a dois anos de prisão. O G1 entrou em contato com a assessoria do ministro mas, até a última atualização desta reportagem, não obteve reposta.
Carlos Lamarca no Vale do Ribeira
O capitão do Exército Carlos Lamarca e outros 16 integrantes da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) lutaram contra a ditadura militar e fizeram treinamento de guerrilha em grutas, em meio à Mata Atlântica, no Sítio Capelinha, onde hoje fica o parque. Lamarca foi morto numa operação militar no interior da Bahia, em 17 de setembro de 1971.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.