Parques estaduais são opções turísticas durante o verão na Zona da Mata


O G1 separou roteiros dos parques Ibitipoca, Serra do Brigadeiro e Serra Negra da Mantiqueira. Para aproveitar o período de alto verão, o G1 selecionou três roteiros de parques estaduais na Zona da Mata que valem a visita. Com cachoeiras, montanhas, trilhas, picos e natureza abundante, confira as opções da região:
Parque Estadual do Ibitipoca – Cachoeira dos Macacos forma piscina natural no Circuito das Águas
Dimas Stephan/G1
Parques estaduais
Ibitipoca
Parque Estadual do Ibitipoca – vista o mirante Janela do Céu
Dimas Stephan/G1
O Parque Estadual do Ibitipoca, considerado por sites especializados em viagem como o terceiro melhor parque da América Latina, recebeu 14.235 visitantes no mês de janeiro de 2019. A expectativa do Instituto Estadual de Florestas (IEF) é que este número aumente em 2020.
Ainda segundo o IEF, é o parque mais visitado de Minas Gerais e, por conta disto, tem o número limite de 1.000 visitantes por dia. A área do parque abrange os municípios de Lima Duarte e Santa Rita do Ibitipoca.
O parque é dividido em quatro circuitos: Circuito das Águas, Circuito Janela do Céu, Circuito do Pião e Circuito Alto das Águas. Nos três primeiros, as trilhas são estruturadas para facilitar o acesso aos atrativos e contribui para a conservação e manutenção das áreas naturais. O Circuito Alto das Águas não conta com sinalização, sendo necessário acompanhamento de condutor ambiental. Confira os circuitos:
Circuito das Águas: Os atrativos deste circuito são de fácil acesso. Ao longo da trilha existem mirantes que foram instalados como forma de promover segurança e conforto ao visitante, além de possibilitar a contemplação da paisagem. O circuito tem aproximadamente 5 km de extensão com grau de dificuldade médio a baixo, dependendo do atrativo e das condições físicas do visitante. Destaque do circuito: prainha, gruta dos gnomos, lago das miragens, ponte de pedra, cachoeira dos macacos, lago dos espelhos.
Circuito do Pião: conta com grau de dificuldade médio, pois é um circuito longo, com muitas subidas. Tem aproximadamente 9 km de extensão, pode ser visitado juntamente com o Circuito Janela do Céu. Os atrativos do circuito são: Monjolinho, Gruta do Pião, Pico do Pião, Gruta dos Viajantes.
Circuito Janela do Céu: é o que conta com maior grau de dificuldade, por ser o mais longo do parque, totaliza 16 km de percurso. Atrativos: Pico do Cruzeiro, Gruta da Cruz, Lombada, ponto mais alto do parque com 1.784 metros, Gruta dos Fugitivos, Gruta dos Três Arcos, Gruta do Moreiras, Janela do Céu, Cachoeirinha.
Circuito Alto das Águas: só é visitado com a presença de um condutor ambiental. Apesar de ser um circuito de fácil acesso, a permissão de visitação somente com condutor se deve ao fato de o circuito ainda não ter sinalização e intervenções necessárias, como pontes e escadas. Os atrativos são: Cachoeira do degrau, Cachoeira do Encanto, Campari, Cachoeira da Pedra Furada.
Para chegar ao local, é necessário ir até Lima Duarte, seguir para o Distrito de Conceição de Ibitipoca por 26 km em estrada não-pavimentada. Do Distrito de Conceição de Ibitipoca ao parque são mais 3km de estrada calçada.
O Parque Estadual do Ibitipoca cobra R$ 20 em dias úteis e R$ 25 em finais de semana, feriados nacionais e estaduais de Minas Gerais. A visitação pode ser feita todos os dias, inclusive feriados, das 7h às 18h.
Serra do Brigadeiro
Parque Estadual da Serra do Brigadeiro em Minas Gerais
Instituto Estadual de Florestas/Divulgação
O Parque Estadual da Serra do Brigadeiro, com mais de 14 mil hectares de extensão, abrange os municípios de Divino, Ervália, Fervedouro, Miradouro, Muriaé, Pedra Bonita, Sericita e Araponga.
A Serra do Brigadeiro tem inúmeras nascentes, que contribuem de maneira significativa para a formação de duas importantes bacias hidrográficas de Minas Gerais: a do Rio Doce e a do Paraíba do Sul. Para os turistas, entre as atrações imperdíveis do local estão as tilhas até os picos, cobertos por neblina.
Entre os picos mais visitados, estão o do Soares, com 1.985 metros de altura, o do Campestre, com 1.908 metros, o do Grama, com 1.899 metros e do Boné, com 1.870 metros. Segundo o IEF, todas as trilhas que dão acesso a esses locais são sinalizadas.
Considerado um paraíso botânico, o parque constitui um ecossistema rico em espécies vegetais como bromélia, peroba, ipê, orquídea, cajarana, jequitibá, óleo-vermelho, palmito doce, cactus, entre outras espécies. Em janeiro de 2019, de acordo o IEF, 1.045 pessoas visitaram o parque.
Para chegar até a Serra do Brigadeiro, existem dois portais de acesso. Um deles é pela cidade de Araponga e outro é pela Portaria Pedra do Pato, em Fervedouro. O local funciona para visitação de terça-feira a domingo, de 8h às 17h. A entrada é gratuita.
Parque Estadual da Serra do Brigadeiro
Assessoria/Divulgação
Serra Negra da Mantiqueira
Vista parcial da Serra Negra da Mantiqueira, que batizaria o parque a ser criado na Zona da Mata
Lúcio Lima/Arquivo pessoal
O Parque Serra Negra da Mantiqueira foi criado pelo Governo de Minas em 2018 e ainda não tem contabilizados dados de visitação, segundo o IEF. O local abrange parte dos municípios de Olaria, Lima Duarte, Rio Preto e Santa Bárbara do Monte Verde.
De acordo com o IEF, o local onde hoje se encontra o parque sofreu ao longo dos anos com vários impactos negativos, como queimadas e pecuária na região dos campos naturais, supressão de vegetação florestal, caça de animais silvestres, mineração de areia nas encostas da serra, bem como a extração de cascalho, o que causou impactos no solo, assoreamento de rios e córregos.
A criação do Parque Estadual da Serra Negra da Mantiqueira foi uma das formas de preservação de áreas estratégicas para a conservação da biodiversidade, especificamente da fauna e flora ameaçadas de extinção e endêmicas.
O Serra Negra da Mantiqueira conta com um grande quantidade de trilhas, grutas, mirantes, picos e cachoeiras. Além da possibilidade de estabelecer travessias e trilhas de longo percurso, que liga diferentes vilas e comunidades, além de diferentes pontos da serra.
Algumas das cachoeiras em destaque são o Complexo do Marciano, próximo a Olaria, com uma queda d’água de até 60 metros; a Cachoeira do Nariz, que tem formato de carranca e a Cachoeira de Água Vermelha, em Rio Preto, na saída da Comunidade do Funil para a Serra Negra.
O parque ainda não tem portarias e a entrada é gratuita. O acesso se dá através da MG-353, nos municípios de Santa Bárbara do Monte Verde e Rio Preto, e da BR-267, nos municípios de Olaria e Lima Duarte.
Preservação de recursos hídricos é uma das justificativas para a criação do Parque Estadual Serra Negra da Mantiqueira
Lúcio Lima/Arquivo pessoal

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.