Nações pobres são as que mais sofrem com deslocamentos devido a eventos climáticos extremos, diz Oxfam


Mais de 20 milhões de pessoas por ano têm que sair de casa por conta de ciclones, inundações e incêndios, segundo a organização. Menino senta ao lado de casa destruída por deslizamento de terra causado por temporais perto da Universidade de Kinshasa, na República Democrática do Congo, em 27 de novembro
Kenny Katombe /Reuters
Um clima mais severo e o agravamento dos incêndios florestais levaram mais de 20 milhões de pessoas a fugirem de casa por ano ao longo da última década — um problema que deve piorar a menos que os líderes ajam rapidamente para conter as ameaças climáticas crescentes, segundo relatório da instituição Oxfam lançado nesta segunda-feira (2).
Grande parte dos deslocamentos causados por ciclones, inundações e incêndios foi temporária e, em alguns casos, devido a esforços para retirar as pessoas antes do perigo, disseram pesquisadores da Oxfam.
No entanto, a “escala ampla” dos deslocamentos foi uma surpresa, disse Tim Gore, líder de políticas climáticas da Oxfam. Em ilhas como Cuba, Dominica e Tuvalu, em média quase 5% da população foi expulsa de casa em algum ano levado em conta.
“Este é o mundo em aquecimento sobre o qual alertamos há tempos. Agora estamos vendo-o se desenrolar diante de nossos olhos”, disse Tim Gore, da Oxfam.
O estudo da Oxfam, cuja divulgação coincide com o início das negociações sobre clima da Organização das Nações Unidas (ONU) em Madri, examinou a quantidade de pessoas deslocadas por desastres de origem climática dentro de seus países entre 2008 e 2018 com base em dados de agências governamentais e internacionais, além de reportagens.
Visitantes chegam na COP25, em Madri, nesta segunda-feira (2)
GABRIEL BOUYS / AFP
Eventos climáticos extremos
As pessoas correm três vezes mais risco de ser expulsas por ciclones, inundações e incêndios do que por conflitos, mostrou o estudo.
Algumas nações, como a Somália, foram assoladas tanto por secas quanto por inundações, às vezes no mesmo ano.
Essa “confluência de desastres” deixa muitas nações pobres –onde a maior parte dos deslocamentos está ocorrendo– com dificuldade para se recuperarem de uma crise antes de a próxima acontecer, explicou Gore.
Algumas fizeram apelos de ajuda para secas e inundações simultaneamente, disse.
“Isso é extraordinário. Isso é um caos climático, é isso que parece”.
Sete dos 10 países com os maiores números de deslocados em relação à população são ilhas-nações em desenvolvimento, a maioria no Pacífico e no Caribe, revelou o relatório.
Mas cerca de 80% de todas as pessoas expulsas de casa por desastres climáticos na última década eram da Ásia, onde grandes populações de países que vão das Filipinas ao Sri Lanka moram em áreas ameaçadas por ciclones ou inundações, segundo o estudo.
Gerson Camarotti: ‘Brasil chega na defensiva na Conferência do Clima’
Initial plugin text

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.