Barreiras de contenção são instaladas no Rio Vaza Barris; material custará quase R$ 7 mil por dia


O equipamento foi alugado a uma empresa terceirizada, após impasse entre a administração estadual e a Petrobras. Neste sábado (12) foram instalados 75 metros de boias absorventes por equipes da Adema no Rio Vaza-Barris, em Aracaju
Adema/Divulgação
Neste sábado (12), foram instalados 75 metros de barreiras de contenção por equipes da Administração Estadual de Meio Ambiente (Adema) no Rio Vaza-Barris, em Aracaju, para contenção da substância oleosa que vem se espalhando, desde o início de setembro, pelo litoral nordestino. O Vaza-Barris é um ponto estratégico porque faz divisa com outros rios, a exemplo do Real e do Jacareí, que têm suas águas utilizadas para consumo humano.
O equipamento foi alugado a uma empresa terceirizada que atua em Sergipe a R$ 6.873,75 por dia ao governo do estado. Não há prazo para utilização do material.
Todas as praias do litoral sergipano foram atingidas por manchas de óleo, diz Sedurbs
O valor será pago pelo Governo do estado, após um impasse entre a administração e a Petrobras. Segundo a Adema, a estatal petrolífera enviaria a contenção a Sergipe, mas o equipamento não chegou. A Petrobras alegou ter enviado o material, mas a informação continuou sendo negada pela gestão estadual.
Uma nota enviada nesta sexta-feira (11) pela Petrobras, diz que colocou à disposição barreiras de contenção, que a atuação da estatal na limpeza das praias é feita por solicitação e coordenação do Ibama, reforça que o óleo nas praias do Nordeste não é produzido nem comercializado pela Petrobras e que os custos das atividades de limpeza serão ressarcidos, conforme informado pelo Ibama.
Barreiras são colocadas no Rio Sergipe
Celse/Arquivo
Na quinta-feira (10) as primeiras barreiras foram instaladas no Rio Sergipe, na região do município da Barra dos Coqueiros (SE). O material foi cedido pelas Centrais Elétricas do Sergipe (Celse).
A instalação das barreiras fazem parte do trabalho de contenção estadual, dentro das medidas do decreto de emergência encaminhadas a empresas parceiras, referentes às ações previstas no Plano de Emergência Individual (PEI).
Emergência
No último dia 5, o governo estadual decretou situação de emergência, e o Projeto Tamar suspendeu a soltura de filhotes de tartarugas marinhas por conta do problema. No mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro determinou uma investigação sobre as origens do óleo.
Além disso, as manchas atingiram a área de praia do maior berçário de tartarugas da espécie oliva do país, na reserva Santa Isabel, que fica em Pirambu.
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, veio a Aracaju na segunda-feira (7), para avaliar o litoral sergipano.
Em todo o Brasil, 156 localidades foram afetadas, segundo a última atualização divulgada pelo Ibama nesta sexta-feira.
Mancha de óleo na área da reserva
TV Sergipe/Arquivo
Mancha de óleo foi achada em Cajueiro da Praia, litoral do Piauí.
Divulgação/Instituto Tartarugas do Delta
Initial plugin text

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.