RH 4.0: Como gerenciar o estresse dos funcionários


Cíntia Magno, head de RH da GSK Brasil, é a convidada da série de lives que debate os temas em alta em gestão de pessoas Cintia Magno, head de RH da GKS Brasil, é a nova convidada da série RH 4.0
Valor
Na próxima terça (28/09), às 14 horas, na série RH 4.0, a editora de Carreira Stela Campos entrevista Cíntia Magno, head de RH da GSK Brasil. Ela vai falar como a companhia global de saúde está inovando no gerenciamento do estresse dos funcionários. Entre as iniciativas, foi criado um indicador que acompanha o nível de estresse e o risco de burnout. É aplicado um questionário com 35 perguntas, baseado em sete pilares: demandas, controle, suporte da liderança, suporte dos pares, relacionamento, papel na organização e mudanças.
Liderança deve atuar para reduzir a ansiedade, diz VP de RH da Ericsson
A pontuação do indicador de estresse varia de 0 a 5 para cada um dos temas – quanto maior a pontuação menor o risco. A pontuação média de todos os pilares abaixo de 3,5 ou abaixo de 2 para um assunto específico são consideradas como risco para burnout.
“Temos um programa de gerenciamento de estresse ativo desde 2019”, diz Magno, na farmacêutica há três anos. A ação inclui uma avaliação de risco individual com geração de relatórios e seminários por grupos de trabalho. “Nesses workshops, a própria equipe traça seu plano de ação para diminuir fatores estressantes.”
Não adianta olhar ESG sem envolver metas de desempenho, diz diretora de RH da Gerdau
Os funcionários em risco de burnout são contatados pelo serviço médico de saúde ocupacional, que dá prosseguimento a acompanhamentos individuais. Atenta aos impactos da pandemia, a GSK, com dois mil funcionários no Brasil, também lançou, em abril de 2020, um programa batizado de Vida Saudável, com uma plataforma on-line que auxilia o quadro no acompanhamento de hábitos e estilos de vida.
Ao mesmo tempo, disparou uma campanha de prevenção ao suicídio, com o recrutamento dos “champions de saúde mental”. “São funcionários que se identificam com a temática e recebem treinamento para auxiliar no reforço da cultura de segurança psicológica”, explica.
Atualmente, são 115 “champions” na América Latina, sendo 58 no Brasil – em julho de 2021 eram apenas 22 no país. Acompanhe a live nesta terça (28/09), às 14 horas, pelo site e redes sociais LinkedIn, YouTube e Facebook do Valor.

Deixe um comentário

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.