Petrobras declina de comentar declarações de Bolsonaro sobre preços de gás

Presidente disse estar “trabalhando com o novo presidente da Petrobras em como diminuir o preço do botijão de gás na origem” A Petrobras declinou de comentar, na entrevista coletiva com jornalistas na tarde desta sexta-feira, sobre as declarações do presidente Jair Bolsonaro, de que está trabalhando com a nova gestão da estatal para que os preços do gás de botijão sejam reduzidos.

Durante a teleconferência com investidores, hoje pela manhã, o novo diretor de comercialização e logística da estatal, Cláudio Mastella, afirmou que a companhia continuará buscando o alinhamento dos preços dos combustíveis ao mercado internacional, como prevê a atual política de precificação da companhia, e que a estatal se mantém com “liberdade e independência” na definição de seus preços.

Logo em seguida, ao cumprir agenda pública no Mato Grosso do Sul, Bolsonaro voltou a sinalizar para mudanças nos preços. “Estamos trabalhando com o novo presidente da Petrobras [Joaquim Silva e Luna] em como diminuir o preço do botijão de gás na origem. Hoje está em R$ 42, dá para diminuir”, afirmou.

O Valor e outros veículos encaminharam questionamentos à assessoria de imprensa, solicitando maiores esclarecimentos dos diretores presentes no evento – Silva e Luna não participou.

As perguntas, no entanto, não foram colocadas em pauta. Nas entrevistas coletivas da Petrobras, as perguntas são encaminhadas pelos jornalistas por escrito e lidas, oralmente, pela equipe de assessores.

Posteriormente à coletiva, a assessoria de imprensa esclareceu que não comentará as falas do presidente Jair Bolsonaro.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.