'Não digo uma coisa nem outra’, afirma Maia sobre novo mandato na Câmara


“No meio de um processo como esse, eu preciso me resguardar”, sustenta Pivô, ao lado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), do julgamento em curso no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a legalidade da reeleição no comando do Legislativo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem participado de articulações sobre seu sucessor e dito, nos últimos meses, que não será candidato — o que não diminui as especulações sobre uma tentativa de um quarto mandado.
Nesta entrevista, concedida na sexta-feira, primeiro dia do julgamento no plenário virtual, o deputado pela primeira vez não descartou a possibilidade, preferindo dizer que se pronunciará quando o tribunal encerrar o caso. Ele comentou ainda as perspectivas para 2022, tanto no plano nacional quanto no governo do Rio.

Luis Macedo/Camara
Questionado se tem planos de concorrer à Presidência da Câmara, independentemente do julgamento no Supremo, Maia disse acreditar não ser correto se manifestar sobre esse assunto enquanto ocorre o julgamento. “A única coisa que eu tenho certeza é que a Câmara precisa ter um presidente com alguma independência dentro da instituição, priorizando as agendas de reforma do país. O próximo presidente terá que ter o perfil de ser liberal na economia.”
“No meio de um processo como esse, eu preciso me resguardar, não digo uma coisa nem outra. Gosto de dar resposta para tudo. Mas no meio de um processo como esse, darei minha opinião sobre o assunto depois”, sustentou.

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.