Morre em Brasília o jornalista e escritor José Antonio Severo


Como repórter, editor e diretor de equipes, ele passou por alguns dos principais veículos de comunicação do país, como as TVs Globo e Bandeirantes e os jornais “O Estado de S. Paulo” e “Gazeta Mercantil”, entre outros veículos Morreu na madrugada desta sexta-feira (24), em Brasília, o s 79 anos, o jornalista e escritor José Antonio Severo.

Como repórter, editor e diretor de equipes, ele passou por alguns dos principais veículos de comunicação do país, como as TVs Globo e Bandeirantes; os jornais “O Estado de S. Paulo” e “Gazeta Mercantil”; as revistas “Veja”, “Exame” e “Realidade”; e a agência Reuters. O início da carreira, há mais de 50 anos, foi no “Jornal do Dia”, de Porto Alegre.

Gaúcho, de Caçapava do Sul, Severo escreveu, entre outras obras, “A Guerra dos Cachorros” e “A Invasão”, ambos editado pela LPM. No primeiro, ele transpunha para São Paulo o fenômeno das matilhas de cães selvagens que assolavam os campos nos tempos do Rio Grande primitivo, resume um texto em sua homenagem distribuído a amigos. O segundo é uma ficção sobre uma mudança de regime político no Brasil.

Na TV Globo, Severo trabalhou como repórter do Jornal Nacional, a partir de 1979, e depois como editor-chefe do Jornal da Globo, que ajudou a criar.

Nos últimos anos, trabalhou na pesquisa para o roteiro da série “200 Anos da Independência”, produzido pela TV Cultura de São Paulo com previsão de exibição no ano que vem.

Diabético, Severo contraiu covid-19 no início do ano. E, ao onseguiu se recuperar rapidamente da covid, conforme o texto que o homenageia, mas a saúde entrou numa fase de instabilidade, o que resultou em sucessivas internações. Há duas semanas, voltou ao hospital para tratar de uma hemorragia no pulmão, o que o levou à cirurgia no fim da tarde da quinta (23). Ele não resistiu ao procedimento e morreu poucas horas depois.

Deixe um comentário

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.