Instrução Normativa aumenta rigor na prevenção da gripe aviária

Instrução normativa assinada nesta terça-feira (21), pelo ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), visa tornar mais eficiente a prevenção da influenza aviária, reforçando e atualizando o programa de gestão de risco existente. Entre as medidas, consta a exigência de colocação de tela em galpões de aves poedeiras, e não apenas nas de corte como já era previsto, e prazo para estabelecimentos avícolas apresentarem requerimento de registro junto ao serviço veterinário estadual.

“O Brasil é um grande produtor de aves e exporta para mais de 160 países, o equivalente a 37% do volume mundial desse mercado. Portanto, nós temos que criar condições para evitar que a doença chegue ao país ou que seja minimizada, cuidando com toda a atenção e fazendo o monitoramento”, observou o ministro. A instrução normativa, explicou, “vem ao encontro da preocupação com a incidência da gripe aviária no mapa mundial”.

Maggi observou que está sendo dado prazo aos produtores para todos se adequarem às novas exigências. A assinatura do normativo foi feita durante reunião na Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em São Paulo. “Expliquei que, mais importante do que ter uma norma, mais do que o dinheiro que as empresas do setor vão investir e o Mapa se adequar a esse planejamento, é o convencimento de cem por cento das pessoas envolvidas na avicultura de que o objetivo é proteger o setor, o seu patrimônio e o mercado que foi conquistado lá fora”, relatou o ministro depois do encontro.

Maggi enfatizou tratar-se de medidas preventivas e falou também de penalidades previstas no caso de descumprimento. “Aquilo que é controlável, vamos fazer, vamos nos antecipar”. A determinação, segundo ele, é “de que quem descumprir prazo, não poderá comercializar”.

O presidente-executivo da ABPA, ex-ministro da Agricultura, Francisco Turra, lembrou que 700 mil toneladas estão sendo retiradas de 45 países que notificaram a ocorrência da gripe aviária.

https://www.cnabrasil.org.br/

Deixe uma resposta

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.